Conhecendo nosso maior Patrimônio


“Para mim, o maior desafio da minha carreira foi no início, quando saí de casa, em Belém, para enfrentar a vida no Rio de Janeiro (RJ). Era tudo muito novo, mas certamente foi gratificante.”

SO (ES) Pullig

“Eu tenho a honra de servir ao meu País de duas formas distintas: como militar, garanto sua soberania; como escritor, exalto sua liberdade”

SO (PD) Leila

“Somos mulheres guerreiras e a cada missão temos que manter sempre o comprometimento e temos que nos orgulhar da escolha que fizeram, ser marinheiras. Mulheres audazes, a Marinha precisa de nós. Viva a Marinha do Brasil!”

SO (EF) Rodrigo

“Penso sempre em fazer o melhor pela minha equipe e o meu paciente. Com a pandemia, nós, da Saúde, nos mostramos tão importantes como a parte operacional da Força. E estamos lindando muito bem com isso. Parabenizo a todos que fazem parte da Saúde da MB.."

CC (FN) Adelton

“Poder dar continuidade ao trabalho bem-sucedido de meus antecessores é uma grande satisfação. A sensação é de missão cumprida por poder bem representar o Corpo de Fuzileiros Navais, a Marinha do Brasil e o Brasil”

1º SG (FN IF) Olimpio

“Tem uma frase que gosto muito, do poeta alagoano Ledo Ivo, que condiz perfeitamente com todo o exercício de uma carreira dedicada à Pátria: ‘ O que sobra é obra, o resto soçobra’”.

2ºTen (A-FN) Liana

“O desejo de me tornar militar tem relação com a música. Comecei meus estudos na banda de música do Colégio São Vicente de Paulo, em Niterói (RJ). Conheci muitos músicos militares, porém, naquela época, ainda não existiam mulheres nas bandas das Forças"

Cabo (BA) Roberto Nunes

"A Marinha me proporciona estabilidade e me dá a oportunidade de conhecer novas cidades e países”

Primeiro-Tenente Fuzileiro Naval Débora

“Tenho muito orgulho do meu trabalho, principalmente por causa do pioneirismo alcançado no Corpo de Fuzileiros Navais”

Suboficial-Mor Marinho

“Tenho orgulho de fazer parte dessa instituição que cuida de nossa Pátria e faz com que muitos cidadãos tenham dignidade”

Capitão-Tenente Saulo Rodrigues Torres

“Quantas vezes vi o milagre do socorro providencial ou divino chegar por meio dos Navios da Esperança, no momento exato para salvar uma vida ou oferecer um suporte a quem sentia dores por dias”