Navios da Marinha levam usinas de oxigênio para interior do Amazonas

22/02/2021
Com a usina de oxigênio a bordo, o Navio-Patrulha Fluvial “Raposo Tavares suspendeu na manhã desta sexta-feira (19), de Manaus com destino ao município de Codajás (AM)
 
Em apoio ao Ministério da Saúde, os Navios-Patrulha Fluvial (NPaFlu) “Pedro Teixeira”, “Raposo Tavares” e “Amapá”, subordinados ao Comando da Flotilha do Amazonas, partiram de Manaus (AM), no dia 19 de fevereiro, transportando usinas de oxigênio para quatro municípios do interior do Amazonas. Os equipamentos permitirão a produção de oxigênio medicinal que deve ser utilizado no tratamento de pacientes com Covid-19 nos municípios de Tapauá, Urucará, Codajás e Santo Antônio do Içá (AM).
 
Guindastes foram utilizados durante o embarque das usinas de
oxigênio destinadas ao interior do Amazonas
 
As usinas foram doadas ao Ministério da Saúde por empresas privadas e transportadas de São Paulo (SP) para Manaus pela Força Aérea. Três delas foram embarcadas nos navios da Marinha, em Manaus, e uma foi levada direto para Tabatinga (AM), de onde será transportada pelo NPaFlu “Raposo Tavares” para Santo Antônio do Içá.
 
Ao todo, 250 militares estão envolvidos diretamente na atividade. O Comandante da Flotilha do Amazonas, Capitão de Mar e Guerra Carlos Eduardo Lopes da Cruz, destacou que há ainda, além das tripulações dos navios, uma logística envolvendo mais militares empenhados em contribuir na luta contra o coronavírus. "Cuidar da nossa gente é uma ideia retratada no próprio lema da Marinha e essa tarefa fazemos com muito orgulho e satisfação", disse.
 
A ação faz parte da Operação “Covid-19” do Ministério da Defesa.