Marinha utiliza Quaternário de Amônio em ações de prevenção e combate à Covid-19

09/05/2020
 
Desinfecção de organização militar na Fortaleza de São José da Ilhas das Cobras

 

Nos dias 6 e 7 de maio, a Marinha do Brasil (MB), por meio do Grupamento Operativo de Fuzileiros Navais de Defesa Nuclear, Biológica, Química e Radiológica, realizou ações de desinfecções no Comando da Força de Fuzileiros da Esquadra (ComFFE) e nas organizações militares da Fortaleza de São José da Ilhas das Cobras, no Rio de Janeiro-RJ. Inseridas no contexto da Operação “Grande Muralha”, as atividades tiveram o propósito de fortalecer as medidas de prevenção e enfrentamento ao novo coronavírus.

 

Durante as ações, além da aplicação de descontaminante a base de hipoclorito de sódio (água sanitária com cloro ativo a 1%) e álcool 70%, foi utilizado pela primeira vez, o Quaternário de Amônio de 5ª Geração, visando ao aprimoramento do protocolo de desinfecção de organizações militares da MB.

 

Recomendado pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), o composto químico apresenta alguns benefícios em relação ao hipoclorito de sódio como o de ser menos irritante, possuir baixa toxicidade e não ser corrosivo, característica que possibilita a utilização do produto em superfícies metálicas, além das vantagens de não danificar os sistemas de pressurização dos equipamentos de aplicação dos saneantes. Além disso, apresenta uma excelente relação custo-benefício, devido à alta diluição do produto original.

 

Visando à aplicação do produto de forma correta e segura, os militares adotam procedimentos de segurança, utilizando equipamento de proteção individual, que inclui máscara de proteção respiratória, luvas, protetor ocular, botas e macacão (Tyvek).

 

Desde o final de março, a Marinha do Brasil vem atuando na desinfecção de locais de grande circulação de pessoas. A Estação das Barcas (Praça XV) foi o primeiro local a ser desinfectado, no dia 26 de março, em uma ação que contou com a participação de 49 militares do Corpo de Fuzileiros Navais. O Terminal Alvorada do BRT, a Estação das Barcas em Paquetá, o prédio do Ministério da Economia, as estações de VLT do Centro do Rio e o Aeroporto do Galeão, no Rio de Janeiro, também passaram pelo procedimento.