Marinha do Brasil realiza ação de presença na Bacia de Campos durante a Operação “ADEREX”

21/05/2019
 

 
 
A Operação “ADEREX” iniciou no dia 6 de maio e finalizou a sua 3ª fase após dez dias de adestramento dos militares no mar. O retorno do Espírito Santo ao Rio de Janeiro foi marcado pela ação de presença do Navio-Tanque “Almirante Gastão Motta” e das Fragatas “Independência” e “Greenhalgh” na Bacia de Campos, maior produtora de petróleo do Brasil.
 
Navios durante a ação de presença
 
Os navios da Esquadra brasileira e da Marinha Nacional Francesa realizaram, também, exercícios conjuntos durante a “PASSEX”, que ocorreu antes da “ADEREX”. Participaram da operação o Navio de Desembarque de Carros de Combate “Almirante Saboia”; as fragatas “Independência”, “Constituição” e “Greenhalgh”;  o Porta-Helicópteros Multipropósito “Atlântico”; o Navio-Tanque “Almirante Gastão Motta”; a Embarcação de Desembarque de Carga Geral “Marambaia”; o Submarino Tup; além das aeronaves Falcão (AF-1), Guerreiro (SH-16), Águia (UH-12),Pegasus (UH-15) e Lince (AH-11). Os navios franceses participantes foram o BPC “Tonnere”, o BSAH “Seine” e a Fragata “La Fayette”, que estiveram presentes na primeira fase da ADEREX.
 
Na sequência, os navios seguiram o programa de exercícios previstos para o aprimoramento profissional dos militares. Os meios da Esquadra realizaram navegação em baixa visibilidade e em canal varrido, leap frog, light line, transferência de carga leve, transferência de óleo no mar, tiro sobre drone e killer, trânsito sob múltiplas ameaças, entre outros.
 
O Porta-Helicópteros Multipropósito “Atlântico”,  na 3ª fase da operação, desincorporou do grupo tarefa e realizou operações aéreas com avaliações de envelopes de ventos e qualificação e requalificação de pouso a bordo. A operação teve o objetivo de elevar o nível de adestramento da tripulação com os respectivos meios navais e contou com a presença de 2.362 militares. Foi encerrada em 16 de maio.