Diretoria de Hidrografia e Navegação conclui coleta de dados em apoio ao Levantamento da Plataforma Continental

16/10/2019
 
Em preto, dados coletados na Elevação do Rio Grande e no Platô de São Paulo e, em amarelo, no Platô de São Paulo e na Cadeia Vitória-Trindade
 
O Navio de Pesquisa Hidroceanográfico (NPqHo) “Vital de Oliveira” concluiu, em 11 de outubro, a tarefa complementar de coleta de informações no Platô de São Paulo e na Cadeia Vitória-Trindade, após ter sido submetido a um período de manutenção no Píer Almirante Paulo Irineu Roxo Freitas, situado no Complexo Naval da Ponta da Armação, em Niterói-RJ.
 
Após ter desatracado, em 8 de janeiro, do cais da Diretoria de Hidrografia e Navegação (DHN), o navio seguiu para a região da Elevação do Rio Grande e do Platô de São Paulo, onde iniciou um levantamento geofísico no qual, dentre outros, foram coletados dados de batimetria multifeixe, gravidade, magnetometria e perfilagem sísmica do subfundo marinho.
 
Uma vez processadas e devidamente interpretadas, essas informações são integradas a outras, a fim de gerar os subsídios que suplementarão e apoiarão, sob a forma de relatórios ou dados complementares, a Submissão Parcial Revista do Limite Exterior da Plataforma Continental para a Margem Oriental-Meridional, depositada junto ao Secretário-Geral das Nações Unidas, em 7 de dezembro de 2018.
 
Ao todo, a missão compreendeu 109 dias de mar, que representaram 15.313 milhas náuticas percorridas. Além da equipe do navio, embarcaram representantes do Levantamento da Plataforma Continental (LEPLAC), da Diretoria e Hidrografia e Navegação, do Centro de Hidrografia da Marinha (CHM) e do Serviço Geológico do Brasil (CPRM).
 
Participaram, ainda, mais de cem alunos e pesquisadores, inclusive na condição de coordenador científico embarcado, de instituições de ensino superior nacionais, dentre elas: Universidade Federal Fluminense, Universidade do Estado do Rio de Janeiro, Universidade de Caxias do Sul, Observatório Nacional, Universidade do Vale do Itajaí, Universidade Federal do Rio Grande, Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), Universidade Federal do Espirito Santo (UFES) e Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUC-RS).
 
Adicionalmente, em duas pernadas do navio, embarcaram pesquisadores estrangeiros, a fim de cumprirem compromissos assumidos pelo Brasil, por meio da CPRM diante da Autoridade Internacional dos Fundos Marinhos. O Termo de Cooperação de Pesquisa & Desenvolvimento nº 5850.0109461.18.9, assinado entre o CHM e a Petrobras, tendo a Fundação de Estudos do Mar como interveniente, foi a principal fonte de recursos para a consecução do referido levantamento.
 
Militares do navio, representantes do LEPLAC,
pesquisadores e alunos da PUC-RS, UFRJ e UFES