Capitania Fluvial de Santarém abre o segundo semestre do projeto “Segurança da Navegação nas Escolas”

09/08/2018
 
Alunos da “Pérola do Maicá” recebem orientações quanto ao uso do colete salva-vidas
 
A Capitania Fluvial de Santarém (CFS) iniciou, no dia 7 de agosto, a nova etapa do projeto “Segurança da Navegação nas Escolas”, com o objetivo de estimular a mentalidade de segurança e práticas fluviais seguras, especialmente o uso de colete salva-vidas, entre as crianças.
 
A primeira escola a receber a visita da equipe da Marinha, no segundo semestre deste ano, foi a “Pérola do Maicá”, que possui 221 alunos matriculados. Na ocasião, foi realizada uma palestra abordando ações de prevenção ao escalpelamento e prevenção da poluição hídrica. Ao término da ação, todas as crianças receberam um colete salva-vidas.
 
O projeto foi iniciado a partir de uma parceria com a Sociedade Amigos da Marinha de Santarém e a Secretaria Municipal de Educação. A ação também é estendida às escolas das comunidades ribeirinhas mais afastadas das grandes cidades, como Juruti e Alenquer-PA. Só no primeiro semestre, o projeto visitou 22 escolas, contemplando cerca de 5.900 alunos. Já para o segundo semestre, a ideia é atender 27 escolas das cidades de Itaituba, Monte Alegre, Óbidos, Oriximiná, Prainha e Terra Santa, todas no estado do Pará.
               
O Capitão dos Portos de Santarém, Capitão de Fragata Robson Ferreira Carneiro, destacou a importância do projeto. “Percebe-se a grande aceitação das crianças em relação a esse projeto, que influenciará no futuro delas, pois serão multiplicadoras dessas informações aos seus pais e familiares”.
Os bons resultados apresentados no primeiro semestre possibilitaram à Marinha ampliar o projeto da CFS a nível nacional, envolvendo diversas organizações militares da área da Segurança do Tráfego Aquaviário. A ação visa alcançar o maior número de crianças possível e, assim, reduzir a ocorrência de acidentes nos mares e rios.
 
Alunos da “Pérola do Maicá” participantes do “Segurança da Navegação nas Escolas”