AF-1B - Skyhawk

 

Função

Dentre as atividades realizadas por esta Aeronave destacam-se a capacidade de Interceptação Aérea, Reabastecimento em Voo (REVO), o lançamento de bombas MK-81 e BEX-11, tiro com metralhadora 20mm, apoio aéreo aproximado aos Fuzileiros Navais, esclarecimento de área, além de adestramentos com navios para a prática de exercícios de defesa aeroespacial e trânsito sob ameaça aérea.

Histórico

Em 1998, foi assinado o decreto que permitiu que a Aviação Naval voltasse a operar suas próprias aeronaves de asa fixa. Destarte, a Marinha fechou acordo para a compra de um lote de 23 jatos de ataque McDonnell Douglas A-4KU junto ao Governo do Kwait. Assim, no dia 5 de setembro de 1998 chegou ao Porto do Forno, no município de Arraial do Cabo-RJ, o Navio Mercante de bandeira liberiana “Clipper Ipanema” trazendo a bordo as aeronaves A-4 Skyhawk de fabricação norte-americana, tornando-se o primeiro avião operacional da Aviação Naval desde 1941.

As 23 aeronaves Skyhawk receberam no Brasil a denominação de AF-1, vindo a compor o 1º Esquadrão de Aviões de Interceptação e Ataque, cuja cerimônia de ativação se deu em 02 de outubro de 1998 na Base Aeronaval de São Pedro da Aldeia. No dia 18 de janeiro de 2001 a aviação de asa fixa renasceu na Marinha do Brasil, quando o primeiro AF-1 pousou no convoo do porta-aviões A-11 Minas Gerais. Neste mesmo dia aconteceu o primeiro lançamento por catapulta de um A-4 pela Marinha e pessoal brasileiro.

Em 15 de abril de 2009, a Embraer e a Marinha do Brasil assinaram um contrato para modernização das aeronaves, recebendo modernos radares ELTA 2032, HUD (Head Up Display), painel de instrumentos com dois CMFD (Color Multi-Function Display), HOTAS (Hand On Throttle and Stick), computadores de bordo para cálculos de navegação e balística, OBOGS (On Board Oxygen Generation System), novos sistemas de geração de energia, novos rádios com sistema data-link, RWR (Radar Warning Receiver) e sistemas inerciais, além de completa revisão nos motores e sistemas associados. A primeira aeronave modernizada, designada como AF-1B, foi entregue no dia 26 de maio de 2015. Já o último caça modernizado, um AF-1B, foi entregue à Marinha em 20 de abril de 2022, na unidade industrial Embraer Defesa e Segurança, em Gavião Peixoto.