2ºTen (A-FN) Liana


2T (AFN) Liana durante Operação “Formosa”

A 2T (AFN) Liana Arduino de Magalhães, de 39 anos, foi a primeira colocada na Turma de Auxiliar Fuzileiro Naval no Curso de Formação de Oficiais 2018 e a 5ª na classificação geral do Curso de Aperfeiçoamento em Guerra Anfíbia e Expedicionária.

Antes de ser oficial da Marinha, a 2T Liana foi Sargento Músico Fuzileiro Naval. “O desejo de me tornar militar tem relação com a música. Comecei meus estudos na banda de música do Colégio São Vicente de Paulo, em Niterói (RJ). Conheci muitos músicos militares, porém, naquela época, ainda não existiam mulheres nas bandas das Forças.”

Em 2001, militares do sexo feminino passaram a ser admitidas no concurso de Sargento Músico Fuzileiro Naval e uma das aprovadas foi a Tenente Liana.

“Éramos oito mulheres em uma turma de quase 400 homens, então ouvíamos o tempo todo que dependia de nós para que houvesse continuidade das mulheres no quadro de música do Corpo de Fuzileiros Navais (CFN). Pelo visto, deu certo”.

Várias situações marcaram sua carreira durante os 16 anos em que atuou como musicista no CFN. “As viagens da banda sempre foram bem marcantes. Tive a oportunidade de conhecer todas as regiões do Brasil e vários países durante a XXVII Viagem de Instrução de Guardas-Marinhas, além de explorar a cultura e a história de cada lugar por onde passei”.

Porém, com certeza, a experiência mais marcante para ela foi ter ido ao Haiti com o Conjunto Fuzibossa no Navio de Desembarque de Carros de Combate “Mattoso Maia”, de 2008 para 2009. “Tocamos em vários locais, inclusive em praças públicas, e pude presenciar o sofrimento dos haitianos à época”.

Agora como oficial e primeira colocada na Turma de AFN, a Tenente Liana diz que é uma honra e uma responsabilidade muito grande ser a terceira mulher oficial fuzileiro naval da Marinha do Brasil. “Tenho que continuar o alto padrão que as Tenentes Gizelle e Débora construíram”.

Atualmente ela é Comandante de Pelotão no 1º Batalhão de Infantaria de Fuzileiros Navais “Espero conseguir colocar em prática tudo que aprendi durante o curso”, disse.