Desinfecção em estações do VLT Carioca

Rio de Janeiro, RJ - O Comando Conjunto Leste (Cmdo Cj L) realizou no dia 30 de março uma ação de desinfecção em 6 estações do VLT Carioca. Para essa descontaminação foram empregados duas equipes: o Grupamento Operativo de Fuzileiros Navais (GptOpFuzNav), com capacidade de Defesa Nuclear, Biológica, Química, e Radiológica (NBQR) da Marinha do Brasil (MB) , e os militares do Centro de Instrução Gericinó, unidade subordinada a 1ª Divisão de Exército (DE); no total de 28 militares das duas Forças. A Marinha realizou a desinfecção nas seguintes estações: 7 de Setembro, Cinelândia e Carioca; enquanto que o Exército foi responsável pela descontaminação nas estações Cristiano Otoni, Candelária e Colombo.

O VLT Carioca é um veículo leve sobre trilhos, de transporte público, que atende a região central do Rio de Janeiro, e integra o projeto de revitalização que liga a Região Portuária ao Centro. De acordo com o diretor de operações do VLT Carioca, Paulo Ferreira , a parceria com as Forças Armadas possibilita ações que ajudam a salvar vidas.

A desinfecção das estações acontece após a Operação COVID-19 completar um ano de ativação, no mês de março. O Ministério da Defesa, por meio das Forças Armadas, desencadeou a operação por todo o país. O que levou a formação, no âmbito do 1º Distrito Naval, do Cmdo Cj L. Ao todo já passamos da marca de 900 desinfecções realizadas no Rio de Janeiro, Espírito Santo e parte de Minas Gerais.

O  Capitão de Fragata (FN) Braga, comandante do Batalhão de Defesa Nuclear, Biológica, Química, e Radiológica destacou que os produtos utilizados para desinfecção, como álcool com 70% de concentração e o quartenário de amônia, são certificados e recomendados pela Anvisa. E que esses produtos visam a redução do nível de contaminação nas superfícies onde há uma maior circulação de pessoas, o que ajuda a diminuir o risco para a sociedade.