Retomadas pesquisas nos laboratórios da EACF

PROANTAR

 

A 40ª Operação Antártica (OPERANTAR XL), realizada na temporada do verão antártico 2021/2022, marca a volta das pesquisas de campo e o pleno uso dos laboratórios da nova Estação Antártica Comandante Ferraz (EACF).

Dentre as 14 unidades internas, dotadas do estado da arte de equipamentos para finalidades específicas, destacam-se o laboratório de química, o qual atende às pesquisas tanto da área de química terrestre quanto da oceanografia; o de biologia micromolecular, para extração de DNA de distintos organismos; o de microbiologia, que atende os pesquisadores que trabalham com microorganismos tais como fungos, vírus, bactérias e microalgas; e os laboratórios de bioensaios, que são flexíveis para atender diferentes linhas de pesquisa. Três outros laboratórios estão instalados na área externa da EACF.

Na Antártica, as pesquisas de campo do Brasil podem ser desenvolvidas em quatro plataformas distintas: nos laboratórios da Estação, no módulo Criosfera 1, nos acampamentos isolados e a bordo das embarcações da Marinha do Brasil que atuam na região austral – Navio Polar Almirante Maximiano e Navio de Apoio Oceanográfico Ary Rongel. Historicamente, em média, cada OPERANTAR mobiliza 250 cientistas. No entanto, em função dos protocolos sanitários ainda vigentes devido à pandemia de SARS-CoV-2, a OPERANTAR XL foi executada com algumas restrições, contando com a participação de aproximadamente 60 pesquisadores, possibilitando a realização de investigações in loco e garantindo a produção científica decorrente.

Matéria completa disponível no site do MCTI.