Zonas azuis: segredos para uma vida longa e saudável

📅 Publicado em 07 de março de 2024

Já ouviu falar em Blue Zones ou Zonas Azuis? Trata-se de certas regiões do planeta em que as pessoas, em média, costumam viver mais e melhor que em qualquer outro lugar, com muitas, inclusive, ultrapassando os 100 anos de idade.

São cinco as Zonas Azuis: Okinawa (Japão); Sardenha (Itália); Península de Nicoya (Costa Rica); Ikaria (Grécia) e Loma Linda (Califórnia, nos Estados Unidos).

Mais do que a idade de seus habitantes, essas regiões estão associadas à funcionalidade das pessoas. Os mais velhos continuam ativos e mantêm um estilo de vida com foco em alimentação saudável e equilibrada, atividade física, espiritualidade e interação social.

Os segredos por trás da longevidade dos habitantes desses locais já foram desvendados:

  1. 1. Alimentação adequada

    Foco em grãos, legumes, vegetais e frutas, além da redução de carnes e industrializados.

  2. 2. Rotina de exercícios

    Manutenção do corpo em movimento, evitando o sedentarismo. Atividades como cuidar do jardim, fazer caminhada e alongamentos são consideradas ótimas opções para alcançar longevidade com autonomia.

    Artigos científicos tratam da importância da prática regular de atividade física com ênfase nos exercícios de força – musculação – para o envelhecimento saudável. E compara a musculatura esquelética em pessoas mais velhas ativas e sedentárias.

    A conclusão foi que o primeiro grupo (idosos ativos) possui mais força nos diversos grupamentos musculares analisados e tem maior aptidão em testes como os de prensa manual e teste da cadeira, que são importantes para, por exemplo, segurar objetos, sentar-se e levantar-se e manter o equilíbrio.

  3. 3. Relacionamentos sociais

    Os habitantes das Zonas Azuis encontram muito apoio na vida social. Conexões fortes e relacionamentos saudáveis evitam a solidão.

  4. 4. Saúde mental em dia

    Estamos sempre ocupados, preocupados, trabalhando, descansando pouco... baixe a rotação, reduza o estresse com práticas mais tranquilas. Meditação é uma boa. Como dizem os mais velhos: corpo são, mente sã.

  5. 5. Conexão e espiritualidade

    Espiritualidade não necessariamente tem a ver com religiosidade. Conecte-se à natureza ou a alguma crença. A fé pode ajudar a proporcionar sentimentos positivos como esperança. É positivo para a saúde mental e emocional.

  6. 6. Sono satisfatório e positividade

    É fundamental o cuidado com o sono. Privar o corpo de descanso pode afetar o funcionamento do metabolismo e causar prejuízos à saúde em geral.

  7. 7. Evitar maus hábitos

    Cigarro e bebida alcoólica estão associados a problemas de saúde e a uma vida mais curta. O consumo de tabaco é uma das principais causas de câncer, doenças respiratórias e problemas cardiovasculares. A ingestão de álcool pode causar danos ao fígado, aumentar o risco de acidentes, além de problemas de saúde mental. Não existe uma determinação de “dose segura” do consumo de álcool.

  8. 8. Acompanhamento médico

    Acompanhamento médico é importante para o controle e o tratamento das doenças existentes. A realização de exames periódicos dentro do contexto de cada indivíduo também ajuda na detecção precoce de doenças.

Lembre-se: não é preciso esperar chegar à terceira idade para começar a construir o corpo que se quer. Envelhecer é um processo que vem com o tempo, e essa fase da vida não é sinônimo de doença ou inatividade. Ao contrário, fazer boas escolhas – de forma consciente – ainda na juventude ou na fase adulta é fundamental para desfrutar de uma velhice ativa, funcional e saudável.

Apoio técnico:
1ºT (Md) Nathália Rossato
Policlínica Naval Nossa Senhora da Glória

Compartilhe