Diabetes: é possível prevenir?

Ainda que não seja possível impedir completamente o aparecimento da diabetes, algumas medidas são possíveis para reduzir a sua incidência. Conheça os diferentes tipos:

Diabetes tipo 1 (DM 1) – ocorre quando o pâncreas, responsável pela produção de insulina, não produz o hormônio ou o produz em quantidade insuficiente devido à destruição de células. Assim, a concentração de glicose no sangue aumenta muito e a pessoa precisa aplicar insulina injetável todos os dias. A causa da diabetes tipo 1 ainda é desconhecida, mas acredita-se que possa ter origem genética ou autoimunológica. Os principais sintomas são: fome e sede excessivas, cansaço, emagrecimento e poliúria (emissão excessiva de urina).

Diabetes tipo 2 (DM 2) – é a mais comum. Cerca de 90% dos pacientes diabéticos possuem a tipo 2. O pâncreas dessas pessoas produz insulina em quantidade insuficiente ou até a produz normalmente, mas o organismo não consegue usá-la de forma adequada. A diabetes tipo 2 pode surgir a partir da combinação de dois fatores: o genético, ou seja, o histórico da doença na família, e o ambiental, que são fatores de risco para o problema, tais como a obesidade e o sedentarismo. Na maioria das vezes, os sintomas não aparecem ou podem levar anos para se manifestar. Se a doença não for tratada, pode evoluir para um quadro grave de desidratação, coma e levar à morte.

Outros tipos de diabetes - são muito mais raros e suas causas incluem defeitos genéticos da ação da insulina, doenças do pâncreas (pancreatite, tumores pancreáticos, hemocromatose), outras doenças endócrinas e uso de alguns medicamentos.

Os principais fatores de risco para o desenvolvimento da diabetes são:

  1. Sobrepeso e obesidade;
  2. Ingestão de açúcar e gordura em excesso;
  3. Sedentarismo;
  4. Histórico familiar e herança genética;
  5. Alcoolismo;
  6. Estresse;
  7. Histórico de doença cardiovascular; e
  8. Diabetes gestacional prévia.

Para quem possui algum ou vários destes fatores de risco mas não tem ainda o diagnóstico da diabetes, a melhor forma de prevenção é adotar um estilo de vida mais saudável e consultar o médico, fazendo exames regularmente.

Este é o caso do Terceiro-Sargento Manoel de Andrade Domingos. Na sua família, sua avó, sua mãe e cinco dos seus tios tiveram complicações severas por conta da diabetes, chegando até a ocasionar morte. Por conta disso, ele e praticamente todos os seus irmãos e primos se preocupam com a possível hereditariedade e, para reduzir as chances do surgimento da doença, passaram a tomar diversas precauções. Exames de rotina, dieta balanceada e prática de exercícios físicos fazem parte dos cuidados que o Sargento Domingos toma.

“Na minha família, a minha avó foi a primeira a ser diagnosticada com diabetes tipo 2. Ela chegou a entrar em coma e falecer em decorrência da doença. Em seguida, meus tios e minha mãe foram, pouco a pouco, sendo diagnosticados também. Todos eles tinham um ou mais fatores de risco, como sobrepeso, alcoolismo, sedentarismo e estresse.

Sempre nos aconselharam (eu, meus irmãos e primos) a adotarmos um estilo de vida mais saudável, fazendo exames periódicos, pois tinham em mente, que a doença poderia ter caráter genético. Como nossa família já passou por perda de visão, problema de coração, risco de amputação de perna e até mortes, a geração mais nova tem medo e tenta se cuidar mais, evitando os fatores de risco.”







Veja Mais:



Nutrição e Diabetes Infantil

Nutrição e Diabetes Infantil



Diabetes: prevenção e cuidados

Diabetes: prevenção e cuidados



Cartilha de Diabetes

Diabetes Mellitus : Tratamento e Orientações Gerais