Construção

A construção dos submarinos convencionais S-BR teve início nas instalações da DCNS, na França, em maio de 2010, com o corte da primeira chapa de aço do casco resistente para as seções S3 e S4 que compõem a parte de vante do S-BR1. Este evento representa o começo da capacitação dos engenheiros e técnicos da Marinha, NUCLEP e Itaguaí Construções Navais (ICN), como parte do processo da transferência de tecnologia para a construção dos submarinos.

Em paralelo ao início da construção das seções S3 e S4, teve início em setembro de 2010, em Toulon, sul da França, o treinamento para engenheiros da Marinha sobre a política de manutenção dos submarinos S-BR, assistência técnica e a transferência de tecnologia, principalmente por meio de on-the-job training, do Sistema Sonar e do Sistema de Combate.

Em fevereiro de 2011 foi entregue à ICN o primeiro lote de materiais necessários à fabricação da “Seção de Qualificação”, utilizados nas etapas de qualificação do corpo técnico da Marinha nas instalações da NUCLEP. Esse evento foi de grande importância, pois representou o processo inicial de recebimento e transporte dos lotes de materiais para a construção dos novos submarinos, compreendendo a preparação, inspeção técnica, conferência, aceitação final e embarque.

No Brasil, a construção dos submarinos convencionais teve início em 16 de julho de 2011 com o corte da primeira chapa de aço para a “Seção de Qualificação” na NUCLEP. O passo seguinte foi a fabricação das cavernas (reforços estruturais da estrutura do casco) e das seções do casco resistente; a fabricação das estruturas internas (tanques, suportes e tubulações), que estão sendo executadas na Unidade de Fabricação de Estruturas Metálicas(UFEM), assim como, a equipagem das seções fabricadas na França.

Em junho de 2013, as seções S3 e S4 do futuro submarino Riachuelo, fabricadas na França com a participação de técnicos e engenheiros brasileiros, em treinamento, chegaram na UFEM. No Brasil, a fabricação na NUCLEP das demais seções iniciou-se em abril de 2012, com o corte da primeira chapa, e terminou em 2015. Atualmente todas as seções estão na UFEM onde está sendo realizado o pré-outffiting, que consiste na instalação de equipamentos, estruturas internas e tubulações. A programação é que no segundo semestre de 2017, todas as seções do S-BR1 (Riachuelo) sigam para o Estaleiro de Construção onde serão unidas e integradas.

Entre setembro de 2013 e dezembro de 2016, foi realizada na NUCLEP a fabricação de todas as seções do casco resistente do S-BR2 (Humaitá). Atualmente essas seções encontram-se na UFEM na fase de pré-outffiting.

A fabricação das seções dos S-BR3 e S-BR4 estão em andamento na NUCLEP em diferentes estágios. O corte da primeira chapa do S-BR3 ocorreu em JAN/2015 e do S-BR4 em FEV/2016, com previsão de conclusão do casco resistente no final de 2017 e meados de 2018, respectivamente.