30/03 - Dia Mundial do Transtorno Bipolar 🙂🙁

📅 Publicado em 18 de março de 2024

1.
+

O transtorno bipolar está relacionado a fatores biológicos, neuroquímicos e ambientais e se destacam as alterações do humor, como alternâncias entre períodos de depressão, períodos de euforia (do grego, 'mania' e hipomania) ou sentimentos mistos. Essas fases não são bem definidas e têm duração de anos.



ESSA É UMA AFIRMAÇÃO FALSA

O transtorno bipolar está relacionado a todos esses fatores mesmo, mas as fases são bem definidas e têm duração de alguns dias, até meses.

2.
+

O transtorno bipolar afeta cerca de 140 milhões de pessoas no mundo.



ESSA É UMA AFIRMAÇÃO VERDADEIRA

Segundo a Associação Brasileira de Familiares, Amigos e Portadores de Transtornos Afetivos (ABRATA), o transtorno bipolar afeta cerca de 140 milhões de pessoas no mundo e os sintomas aparecem, na maioria dos casos, antes dos 30 anos, principalmente entre 18 e 25 anos de idade.

3.
+

Trata-se de um transtorno mental relacionado à condição genética.



ESSA É UMA AFIRMAÇÃO VERDADEIRA

O fator genético contribui para o surgimento do Transtorno Bipolar, mas não necessariamente, é associado à transmissão hereditária, ou seja, filhos de pais com o transtorno podem não apresentar a doença, apesar de carregarem os genes. Atualmente, as pessoas levam em média 10 anos para serem diagnosticados com transtorno bipolar. O desconhecimento e o preconceito são os principais motivos que levam à demora. Vale lembrar que o transtorno bipolar pode ser classificado nos tipos 1, 2 e misto.

4.
+

As fases de mania e hipomania estão ligadas a sinais de depressão.



ESSA É UMA AFIRMAÇÃO FALSA

Na verdade, a fase de mania é uma das características mais associadas ao transtorno bipolar. Nela, é comum que a pessoa apresente um quadro de euforia intensa, aceleração do pensamento, agitação extrema, excesso de energia, desinibição (por exemplo, sexual, gastos excessivos, engajamento em atividades de risco), diminuição da necessidade sono e pensamento de grandeza, podendo cursar com delírios de grandeza e episódios de alucinações (sintomas psicóticos). Já na hipomania, de modo geral, há um quadro de alteração de humor mais leve em comparação à mania, com sintomas de euforia mantidos, porém com menor perda de controle e sem psicose. As pessoas ao redor notam que a pessoa está fora do seu habitual.

5.
+

O diagnóstico de transtorno bipolar é usual durante a infância.



ESSA É UMA AFIRMAÇÃO FALSA

Na verdade, o diagnóstico de transtorno bipolar é raro durante a infância. Os sintomas geralmente começam a ser manifestados durante a adolescência, com quadros depressivos e os primeiros sinais de euforia. Nessa etapa, os indícios da depressão são mais comuns, com destaque para sintomas mistos, ou seja, com impulsividade, rompantes de agressividade, irritabilidade, angústia e desespero.

6.
+

O transtorno bipolar possui sintomas característicos da depressão.



ESSA É UMA AFIRMAÇÃO VERDADEIRA

De modo geral, o transtorno bipolar possui sintomas característicos da depressão, sendo eles:
• Tristeza frequentes;
• Alterações de apetite com perda ou ganho de peso;
• Fadiga ou perda de energia;
• Desânimo e choro fácil;
• Apatia, perda de interesse ou prazer;
• Dificuldade de concentração ou de tomar decisões devido à insegurança, medos e indecisões;
• Pensamentos recorrentes de morte ou suicídio;
• Agitação ou lentificação psicomotora (lentidão na fala e nos movimentos);
• Insônia ou hipersonia (sono aumentado);
• Sentimentos de culpa e inutilidade;
• Desânimo e cansaço mental;
• Tendência ao isolamento social;
• Ansiedade e irritabilidade;
• Diminuição da libido.

Já as características associadas à mania e hipomania são:
• Sensação de extremo bem-estar;
• Pensamento e fala acelerados;
• Agitação e hiperatividade;
• Diminuição da necessidade de sono;
• Aumento da energia;
• Diminuição da concentração;
• Euforia ou irritabilidade;
• Desinibição;
• Impulsividade;
• Ideias de grandiosidade e sensação de “poder”;
• Senso de perigo comprometido.

7.
+

A pessoa não escolhe ter o transtorno e nem é culpada em tê-lo.



ESSA É UMA AFIRMAÇÃO VERDADEIRA

Amigos e família podem e devem ajudar com respeito, compreensão, paciência e apoio. Ouvir, acolher e ajudar sem julgamentos são ações importantes para a pessoa buscar e permanecer em acompanhamentos psicológico e psiquiátrico.
Por isso:
• Fique atento se notar mudanças no comportamento da pessoa;
• Encoraje a ajuda profissional;
• Se puder, acompanhe as consultas, mostre-se disponível;
• Faça convites para atividades prazerosas, porém sem muita cobrança;
• Incentive um estilo de vida mais saudável;
• Ajude no que puder.

Hora de conferir Refazer o quiz

Fontes:

  • Ministério da Saúde;
  • Associação Brasileira de Familiares, Amigos e Portadores de Transtornos Afetivos;
  • American Psychiatric Association. (2013). Diagnostic and Statistical Manual of Mental Disorders, 5th Edition. Washington, DC: American Psychiatric Publishing.
Contribuição técnica:
1T (Md) Nathália Bandeira
UISM

Compartilhe