O que seu filho vai ser quando crescer?

📅 Publicado em 28 de maio de 2024

O Brasil pode se tornar um dos países com maior porcentagem de crianças e adolescentes com excesso de peso.

Diferentes estudos indicam o aumento do número de adolescentes que sofrem de sedentarismo e obesidade. De acordo com a Organização Mundial de Saúde, até 2030 o Brasil pode se tornar o 5º país do mundo com a maior proporção de crianças e adolescentes com excesso de peso.


A exposição exagerada a dispositivos eletrônicos, como videogames, celulares, computadores, televisões e tablets está entre as principais razões apontadas para o sedentarismo. Em 2022, 9% dos brasileiros com idades entre 18 e 24 anos apresentavam IMC (índice de massa corporal) igual ou superior a 30kg/m², o que indica obesidade. Em 2023, esse índice aumentou para 17,1%.

Além da falta de atividade física, mudanças ocorridas nos padrões alimentares nas últimas décadas estão diretamente associadas ao ganho de peso dos adolescentes. Esse grupo caracteriza-se pelo baixo consumo regular de frutas, verduras e legumes e a elevada ingestão de alimentos industrializados, ricos em açúcares e gorduras.

Grande quantidade de gordura corporal, entre outras coisas, pode ser prejudicial para as articulações. Isso ocorre porque a gordura agride a cartilagem que reveste as juntas e o excesso de peso sobrecarrega as articulações. Membros inferiores, como quadril, tornozelos e joelhos, são os mais afetados.

De forma geral, pessoas com sobrepeso correm mais risco de sofrer de dores nas costas e de apresentar outros problemas articulares e musculares. O excesso de peso carregado por uma pessoa obesa coloca pressão e tensão na coluna, quadril, tornozelos e joelhos, aumentando o potencial de lesão nessas regiões.

A obesidade, principalmente na infância, pode ser a porta de entrada para muitas doenças cardiovasculares, câncer, hipertensão, diabetes, além de contribuir para o aumento da taxa de colesterol e para o agravamento de doenças respiratórias.

Quer mais saúde e qualidade de vida para você e para a sua família? Que tal deixar o sedentarismo de lado e começar a se exercitar? Caminhar, pedalar e brincar de pique são algumas opções. Mude seus hábitos. Pratique atividades físicas e melhore a alimentação dentro da sua casa. Em pouco tempo, os resultados aparecem.

Colaboração Técnica:
1T (RM2-S) Viviane Simões
Nutricionista
Ambulatório Naval da Penha


Compartilhe