Em caso de AVC, cada minuto importa.

Enviado em: 12/03/2019

AVC

O acidente vascular cerebral (AVC), mais conhecido como derrame, é, segundo o Ministério da Saúde, uma das principais causas de morte no Brasil.

Existem dois tipos de AVC:

  • isquêmico (AVCi), causado pela falta de sangue em uma área do cérebro por conta da obstrução de uma artéria; e
  • hemorrágico (AVCh), em que essa redução do fluxo é secundária à ruptura de um vaso. É causado por sangramento devido ao rompimento de um vaso sanguíneo.

Nos dois tipos de AVC, ocorre a perda das funções dos neurônios uma vez que o sangue, contendo nutrientes e oxigênio, não chega a determinadas áreas do cérebro.

Quando não mata, o AVC deixa sequelas (consequências) que podem ser leves e passageiras ou graves e incapacitantes. As mais frequentes são paralisias em partes do corpo e problemas de visão, memória e fala.

Sendo assim, acidentes vasculares cerebrais (AVCs) constituem uma emergência médica. Daí, a importância do rápido reconhecimento dos sintomas pela população, da agilidade em buscar atendimento médico e da organização na assistência hospitalar.

Esses fatores são fundamentais para um dos principais obstáculos no tratamento do AVC: o tempo. Cada minuto é importante, pois, quanto mais tempo entre o surgimento dos sintomas e o início do tratamento adequado, maior a lesão no cérebro.

Principais sintomas
Os sintomas do AVC iniciam-se de forma súbita e podem ser únicos ou combinados de acordo com a lista abaixo:

  • Enfraquecimento, adormecimento ou paralisação da face, braço ou perna de um lado do corpo.
  • Alteração de visão: turvação ou perda da visão, especialmente de um olho; episódio de visão dupla; sensação de "sombra" sobre a linha da visão.
  • Dificuldade para falar ou entender o que os outros estão falando, mesmo que sejam as frases mais simples.
  • Tontura sem causa definida, desequilíbrio, falta de coordenação ao andar ou queda súbita, geralmente acompanhada pelos sintomas acima descritos.
  • Dores de cabeça fortes e persistentes.
  • Dificuldade para engolir.

Tratamento

Os cuidados realizados nos pacientes por uma equipe multiprofissional (médicos, enfermeiros, fisioterapeutas, terapeutas ocupacionais, nutricionistas, fonoaudiólogos e psicólogos) são os que trazem mais benefícios para os pacientes. A prevenção de complicações e o início da reabilitação precoce são os mais importantes para todos os pacientes.

Prevenção

É indispensável o controle da pressão arterial a níveis inferiores a 12x8 mmHg, do diabetes e dos níveis de colesterol no sangue. Os pacientes que apresentam alguma doença cardíaca devem fazer acompanhamento médico regular. Evitar consumo excessivo de álcool, praticar exercícios físicos e manter uma alimentação equilibrada também contribuem muito para a prevenção do AVC.


Ana Lúcia da S. Castilhioni
Capitão de Mar e Guerra (RM1-S)
Coordenadora do Conselho Editorial





Veja mais: