COVID-19: Confira as últimas informações

Enviado em: 02/03/2020 | Atualizado: 27/03/2020 às 15h54


Quais são os sintomas? Como posso ser contaminado pela doença? Devo cancelar minha viagem? Essas são algumas dúvidas da Família Naval quando o assunto é o COVID-19, o novo coronavírus.

O Saúde Naval, com a orientação da CT (Md) Daniella Barbosa Vieira, Infectologista do Hospital Naval Marcílio Dias, vai tirar as dúvidas e ajudar você a se manter informado sobre o COVID-19.

Estas orientações estão em constante revisão em virtude da evolução e de novas informações a respeito do comportamento do COVID-19 (novo coronavírus).

Fique atento!


COVID-19 PERGUNTAS FREQUENTES


Deixe sapatos na área externa da casa ou logo na entrada. Eles podem trazer sujeira e doenças. Se possível, separe um par para quando for sair.

Ao chegar em casa, evite tocar nas coisas e cumprimentar pessoas sem que antes tenha lavado as mãos. As roupas também podem armazenar vírus. Portanto, tire-as assim que chegar e, se possível, tome banho. Se não puder, lave bem todas as áreas expostas de seu corpo.

Desinfete celular, óculos, chaves e cartões. Mochilas e bolsas devem ficar na área externa da casa. Elas podem encostar em muita coisa durante o uso, transformando-se em portadoras de sujeira. Caso não consiga limpá-las assim que chegar, pendure-as em um cabide. Assim, não há risco de contaminar outras superfícies como sofás, mesas e cadeiras. Use álcool 70% para higienizar tudo.

Procure cozinhar ou assar bem os alimentos. Tenha cuidado também com a higiene dos utensílios de cozinha. Eles podem contaminar sua comida. A correta manipulação e a boa higienização dos alimentos são vitais no momento do preparo.

Sim, frutas e verduras que forem consumidas crus e com casca devem ser lavadas em água corrente e colocadas de molho em água com água sanitária (para cada litro de água uma colher de sopa de água sanitária). Outra opção para higienizar é usar o hipoclorito de sódio, que é vendido nos próprios supermercados.

Os ovos devem ter a casca higienizada antes do consumo e não quando forem comprados e guardados por terem uma película protetora em seu exterior.

Caixas, latas, potes, vidros, embalagens de plástico, garrafas… Tudo isso, na medida do possível, deve ser lavado com água e detergente. Esses produtos passam nas mãos de muita gente antes de chegar na sua casa, por isso, atenção.

Ao ir ao mercado, certamente, você tocará em carrinhos e cestas que circulam em centenas de mãos, por isso tenha cuidado e higienize suas mãos ao final das compras. Tente levar sua própria sacola para o mercado, pois os sacos plásticos têm maior risco de contaminação.

Depois de abertos ou prontos, os alimentos devem ser guardados em recipientes com tampas para evitar contaminação por gotículas de saliva. É importante lembrar que você só deve pegar nos alimentos já higienizados (que serão consumidos de forma crua como frutas) com as mãos limpas. Não compartilhe alimentos e nem utensílios de cozinha.

Os coronavírus (CoV) compõem uma grande família de vírus. Têm potencial de transmissão entre animais e humanos e podem causar, no homem, desde um resfriado comum até síndromes respiratórias graves, como a síndrome respiratória aguda grave (SARS, do inglês Severe Acute Respiratory Syndrome, que apareceu em 2002 na China) e a síndrome respiratória do Oriente Médio (MERS, do inglês Middle East Respiratory Syndrome, relatado em 2012 na Arábia Saudita).

A origem ainda não está elucidada.

Você pode sentir

Em casos leves – tosse (seca ou com secreção) e febre;

Em casos severos – dificuldade respiratória aguda e insuficiência renal;

Você também pode ter

Diarreia, dores no corpo, congestão nasal e inflamação na garganta.

  • Inalação de secreções respiratórias (tosse, espirro, gotículas de saliva, catarro);
  • Contato pessoal próximo, como tocar ou apertar as mãos ou tocar em um objeto ou superfície contaminado com o vírus e, em seguida, tocar em boca, nariz ou olhos antes de lavar as mãos.

Não há um medicamento específico. Indica-se repouso e ingestão de líquidos, além de medidas para aliviar os sintomas, como analgésicos e antitérmicos. Nos casos de maior gravidade com pneumonia e insuficiência respiratória, podem ser necessárias internação para tratamentos com suplemento de oxigênio e mesmo ventilação mecânica. Sempre com orientação médica.

  • Evitar contato próximo com pessoas com infecções respiratórias agudas;
  • Lavar frequentemente as mãos com água e sabão, incluindo os punhos, especialmente após contato direto com pessoas doentes ou com o meio ambiente e antes de se alimentar. Se não houver água e sabonete, usar um desinfetante para as mãos à base de álcool;
  • Usar lenço descartável para higiene nasal;
  • Cobrir nariz e boca ao espirrar ou tossir (usando o braço e não as mãos)
  • Evitar tocar as mucosas dos olhos;
  • Higienizar sempre as mãos, principalmente, após tossir ou espirrar;
  • Não compartilhar objetos de uso pessoal, como talheres, pratos, copos ou garrafas;
  • Evitar aglomerações;
  • Manter os ambientes bem ventilados.
  • Manter o isolamento domiciliar sempre que possível.

O Ministério da Saúde disponibilizou um vídeo com instruções bem claras. Acesse clicando aqui.

Os produtos mais indicados para matar o Covid-19 são: água e sabão, além dosprodutos à base de álcool 70%.

Confira as medidas de isolamento domiciliar para casos suspeitos de COVID-19. Clique Aqui

Use somente caso você esteja com sintomas respiratórios. Lembrando que, mesmo usando máscara, a higienização deve ser continuada.

Sim. Temos de evitar, neste momento, beijo no rosto ao cumprimentar as pessoas.

Ainda não existe vacina. A prevenção precisa ser feita com boa higienização.

A campanha de vacinação será antecipada para 23 de março. É preciso destacar que esta vacina não protege contra o COVID-19, mas o fato de as pessoas estarem imunizadas contra outros vírus facilitará o diagnóstico pelos profissionais de saúde de eventuais casos de COVID-19.

A melhor solução é não viajar. Somente em situações de extrema urgência a viagem deve ser pensada.

Siga as orientações da região do país onde você mora.

Não há comprovação científica para isso.

Os que estão fora de sede, bem como os apoiados por outras Forças, devem seguir os procedimentos normais de atendimento determinados nos protocolos das suas regiões..

Clique aqui e veja os principais casos.

Em caso de sintomas respiratórios suspeitos de COVID-19 (novo coronavírus), procure a OM de saúde mais próxima (Policlínicas ou Ambulatórios Navais) ou Unidades Básicas de Saúde que estejam perto de você. O Hospital Naval Marcílio Dias será referência para os casos graves da doença. Duvidas? saudenaval@marinha.mil.br ou ligue para 136 (Ministério da Saúde).

A Marinha do Brasil está seguindo rigorosamente os protocolos do Ministério da Saúde. Confira a página da Diretoria de Saúde da Marinha para saber mais.

Idosos (com doenças crônicas, principalmente respiratória e cardíaca), imunodeprimidos (pessoas cujo sistema imunológico está enfraquecido), todos aqueles que têm doenças crônicas e gestantes com alto risco.

Acesse o site do Ministério da Saúde.

O pico máximo de reprodução do vírus são 7 dias, mas a pessoa pode transmiti-lo até o décimo quarto dia. Portanto, mesmo que o vírus esteja incubado e não houver sintomas, pode haver transmissão por 14 dias.

O viajante deve observar 7 dias de isolamento domiciliar. Caso não apresente sintomas, está liberado. Só usará máscara, se apresentar sintomas.

Você deve ficar atento ao seguinte:
- Coriza – fique em casa;
- coriza mais febre – fique alerta em casa;
- coriza + febre + tosse – Unidades de Saúde mais próximas ou Policlínicas Navais;
- coriza + febre + tosse + falta de ar – serviço de urgência ou HNMD.


COVID-19 PODCASTS


#12: A Saúde Emocional em tempos de quarentena
Publicado em: 30/03/2020

#10: Um mês do primeiro caso do novo coronavírus no Brasil
Publicado em: 25/03/2020



#09: Dúvidas sobre o COVID-19? (Parte 2)
Publicado em: 13/03/2020

#07: Dúvidas sobre o COVID-19? (Parte 1)
Publicado em: 09/03/2020




COVID-19 VÍDEOS




Saiba Mais