40 anos se passaram e muita coisa mudou. Teste seus conhecimentos.

📅 Publicado em 30 de novembro de 2023

1.
+

O preservativo é a única medida preventiva à infecção pelo HIV.



ESSA É UMA AFIRMAÇÃO FALSA

Diferentes ações devem ser conciliadas em uma ampla estratégia de prevenção para controlar a infecção, como o uso de preservativo masculino e feminino, de gel lubrificante; testagem regular para HIV e outras Infecções Sexualmente Transmissíveis (IST) e Hepatites Virais (HV); diagnóstico e tratamento das IST e HV; tratamento de todas as pessoas vivendo com HIV; realização de profilaxia pós-exposição quando ocorre um acidente com material biológico ou sexual (quando em uma relação que não se conhece a situação da outra pessoa, por violência ou não) e realização de profilaxia pré-exposição sexual para determinadas situações de risco; prevenção da transmissão materna do HIV; imunização para Hepatites A e B, bem como para o vírus HPV e redução de danos. Tais medidas servem para reduzir a transmissão e propagação em diversas formas, diminuindo o número de pessoas infectadas e reduzindo também os custos de diagnóstico e tratamento de um indivíduo doente.

Se ficar em dúvida procure atendimento, realize um teste!

2.
+

Existem novos tratamentos e medidas preventivas para a infecção pelo HIV atualmente.



ESSA É UMA AFIRMAÇÃO VERDADEIRA

Em um passado próximo, a estratégia de tratamento consistia no uso de três drogas. Atualmente, utilizam-se esquemas terapêuticos com duas drogas ativas (em casos de pessoas que mantêm controle virológico, apresentam múltiplas comorbidades e/ou com risco renal ou ósseo). Novos medicamentos já estão em análise ou aguardando adequação da indústria farmacêutica para análises futuras. Algumas já são aplicadas fora do Brasil, porém um estudo criterioso ainda é necessário.

3.
+

Existem tratamentos de pílula única no tratamento do HIV.



ESSA É UMA AFIRMAÇÃO VERDADEIRA

Existem dois tratamentos (esquemas) de pílula única autorizados pelo Ministério da Saúde. O primeiro já estabelecido no protocolo do Sistema Único de Saúde (SUS) considera a associação de três drogas. Entretanto, hoje esse é considerado um esquema de segunda linha (não há impedimento de uso em pessoas já em tratamento, com sucesso e sem efeitos adversos ou contra indicações ao uso). O segundo esquema é uma terapia dupla que já consta no protocolo atual de tratamento, porém ainda aguarda trâmites e orientação quanto a sua disponibilização. Existem outros esquemas em pílula única que ainda não estão disponíveis no tratamento público no Brasil.

4.
+

Existe vacina para o tratamento do HIV.



ESSA É UMA AFIRMAÇÃO FALSA

Não existem vacinas contra o HIV. Existem estudos com emprego de múltiplas drogas, que incluem vacinas, na tentativa de se obter a cura. Além disso, drogas injetáveis de duração prolongada existem, porém não são classificadas como vacinas e uma já é liberada pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) para profilaxia pré-exposição ao HIV, porém tratativas entre a indústria farmacêutica detentora dos direitos da droga e o Ministério da Saúde são necessárias para incorporar uma nova droga.

5.
+

Discriminar um paciente com HIV é prejudicial ao seu tratamento.



ESSA É UMA AFIRMAÇÃO VERDADEIRA

Toda discriminação pode ser prejudicial para a aderência e a aceitação de um tratamento. Indivíduos adquirem o HIV por motivos diversos e todos merecem o tratamento na sua forma global.

Hora de conferir Refazer o quiz

Obrigado por participar do Quiz do Saúde Naval.

Para alcançar metas de mais diagnósticos, mais pacientes tratados e a manutenção do tratamento, visando a melhora do psicológico destes pacientes, a discriminação deve deixar de existir.

Toda discriminação pode ser prejudicial para aderência e aceitação de um tratamento. Indivíduos podem adquirir o HIV em uma relação estável ou por transmissão materna, ou mesmo em situações de descuido, porém, todos merecem a oportunidade ao tratamento na sua forma global.

A doença aterosclerótica (quando as veias e artérias são afetadas pelo acúmulo de placas de gordura), por exemplo, e suas complicações (Infarto, AVC...), também são doenças crônicas. Elas podem ter heranças familiares em seu desenvolvimento, porém maus hábitos favorecem seu desenvolvimento, mas nem por isso qualquer julgamento deve ser feito. O mesmo vale para os portadores do vírus HIV. É importante estimular as boas práticas para a prevenção da infecção e para o tratamento, para quem tiver necessidade.

Se tiver dúvidas, procure atendimento e realize um teste!

Contribuição técnica:
CC (Md) Konrad
Assistente da Clínica de Doenças
Infecciosas e Parasitárias (DIP) do HNMD

Compartilhe