Você Sabia? Hepatite




É uma inflamação do fígado causada por vírus ou pelo uso de alguns remédios, álcool e outras drogas

É uma inflamação do fígado causada pelo vírus HIV

É o resultado final de anos de agressões ao fígado

É o acúmulo de gorduras no fígado
Resposta Correta
A Resposta correta é: É uma inflamação do fígado causada por vírus ou pelo uso de alguns remédios, álcool e outras drogas




Sim

Não

Não existem hepatites tipo D e E

Depende
Resposta Correta
A Resposta correta é: Não




Dor no estômago, demora na digestão e diarréia

Congestão nasal,cefaléia e tosse

Febre alta, dor nas articulações e fadiga

Perda do apetite, urina escura e pele amarelada
Resposta Correta
A Resposta correta é: Perda do apetite, urina escura e pele amarelada




Diabetes

Esclerose múltipla

Cirrose

Câncer de estômago
Resposta Correta
A Resposta correta é: Cirrose




Contato sexual e com sangue e seus derivados contaminados

Ingestão de alimentos ou de água contaminados por materiais fecais contendo o vírus

Contato com secreções respiratórias de pessoa contaminada

Contato da pele com a água ou solo contaminados
Resposta Correta
A Resposta correta é: Ingestão de alimentos ou de água contaminados por materiais fecais contendo o vírus




Andar sempre calçado

Manter boas práticas de higiene

Não compartilhar objetos perfurocortantes

Manter a vacinação dos animais domésticos em dia
Resposta Correta
A Resposta correta é: Não compartilhar objetos perfurocortantes




Não são. Evoluem para a cura mesmo sem tratamento específico

Porque esses tipos de vírus são encontrados em qualquer ambiente aquático

Podem evoluir para a hepatite crônica, que tem como principais complicações a cirrose e o carcinoma hepatocelular

Porque são transmitidos por via aérea
Resposta Correta
A Resposta correta é: Podem evoluir para a hepatite crônica, que tem como principais complicações a cirrose e o carcinoma hepatocelular


Resultado

Hepatites Virais

As hepatites virais são doenças infecciosas sistêmicas que afetam o fígado e são causadas por diferentes tipos de vírus. Até o momento, sete vírus foram descobertos e estudados, nomeando os diferentes tipos em hepatites A, B, C, D, E, F e G.

Embora apresentando diferenças quanto ao tipo de vírus, a hepatite viral, de forma geral, apresenta como sintomas iniciais:

  • Náusea;
  • vômitos;
  • mal-estar;
  • dor de cabeça; e
  • perda do apetite.

Além disso, colúria (urina escura) e acolia (fezes esbranquiçadas) antecedem a fase ictérica (pele e olhos amarelados) que, em geral, coincide com alteração dos exames de função hepática.

A similaridade para por aí.

Transmissão, evolução e tratamento

Hepatite A Hepatites B e C

É transmitida pela via fecal-oral, ou seja, o vírus é eliminado nas fezes do paciente, contamina a água ou alimentos, e é ingerido por outro indivíduo.

Causa infecções agudas benignas, que evoluem para a cura, na maioria das vezes, sem necessidade de tratamento específico.

O vírus da hepatite A tem distribuição mundial e apresenta maior disseminação em áreas onde são precárias as condições sanitárias e de higiene da população. Por isso, mesmo em grandes cidades, é possível observar surtos da doença, como recentemente, na área do Vidigal, no Rio de Janeiro. O consumo de frutos do mar, crus ou mal cozidos está também muito associado à sua transmissão. Sua evolução dura, em média, dois meses e confere imunidade.

Como não existe tratamento específico, ele é feito apenas para suporte ao paciente, principalmente repouso pela própria condição do afetado.

São transmitidas por via parenteral (injetável), por contato sexual desprotegido e com sangue e hemoderivados contaminados.

Inclui-se, também, a transmissão de mãe infectada para o recém-nascido (durante o parto ou aleitamento). Grupos de alto risco incluem os usuários de drogas injetáveis com compartilhamento de seringas, agulhas ou outros equipamentos e pacientes receptores de sangue e seus derivados.

Ambas podem evoluir para a hepatite crônica, que tem como principais complicações a cirrose, com surgimento de icterícia, edema, ascite, varizes de esôfago e alterações hematológicas e o carcinoma hepatocelular(câncer de fígado).

Indivíduos infectados pelo vírus da hepatite B têm 5% a 10% de risco de tornarem-se doentes crônicos. Na hepatite C, o risco é de 85%. O tratamento é feito com agentes antivirais, com 70% e 35% de sucesso, respectivamente.

Hepatite D Hepatite E

Semelhante em transmissão, evolução e tratamento das hepatites B e C.

A diferença é que, seu vírus, para se desenvolver e multiplicar precisa da presença do vírus da hepatite B no organismo.

Apesar de apresentar o mesmo modo de transmissão da hepatite A, ainda não foi confirmada sua transmissão entre humanos.

As epidemias e surtos estãorelacionados à contaminação da água e ocorrem mais comumente após inundações. A infecção por ingestão de alimentos contaminados, mesmo frutos do mar crus ou mal cozidos, parece pouco comum.

A evolução, período de incubação, manifestação clínica e tratamento são semelhantes aos da hepatite A.

Hepatite F Hepatite G

O vírus da hepatite F ainda não foi devidamente identificado e, por isso, este tipo de hepatite ainda não possui muitos detalhes.

Apesar de haver várias evidências sugerindo a existência de candidatos ao vírus F da hepatite, até o ano de 2017 ainda não se tem uma identificação clara do vírus causador dessa possível doença, que é capaz de infectar macacos e possivelmente humanos.

Descoberta em 1995, se estima ser responsável por 0,3% de todas as hepatites virais.

Desconhecem-se, ainda, todas as formas de contágio possíveis, mas sabe-se que a doença é transmitida, sobretudo, pelo contato sanguíneo.

Não foi ainda possível determinar com exatidão as consequências da infecção com o vírus da hepatite G.


Medidas de prevenção e proteção individual

Hepatites A e E Hepatites B, C e D

Em situações específicas, a hepatite A pode ser prevenida através da utilização da vacina específica contra o vírus, disponibilizada pelo Programa Nacional de Imunizações (PNI);

Utilize água clorada ou fervida;

Lave as mãos com água e sabão antes das refeições e após o uso do sanitário;

Consuma alimentos cozidos;

Evite o consumo de alimentos ou água de origem desconhecida;e

Não compartilhe copos.

Para a hepatite B, a vacina está disponível no SUS para menores de um ano de idade e crianças e adolescentes entre um a 19 anos. Para as demais faixas etárias, somente em situações específicas, como profissionais de saúde, pessoas reclusas, portadores de algumas doenças, acidentes ocupacionais etc.;

Não compartilhealicates de unha, lâminas de barbear, escovas de dente, equipamentos para uso de droga;e

Tenha relações sexuais com preservativo.

Referências:

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Vigilância em Saúde. Manual de aconselhamento em hepatites virais.

BRASIL. FIOCRUZ. Série Doenças. Hepatites virais.

Compartilhe