Vamos amamentar!

Após o nascimento do bebê, já nas primeiras semanas, a insegurança torna-se parte dos vários sentimentos experimentados pela mãe, dúvidas como: Será que tenho leite? Será que o meu bebê está mamando certo? Será que ele está ficando com fome? São perguntas muito comuns nessa fase.

Uma das grandes preocupações é ter a certeza de que a produção de leite está correspondendo às necessidades do bebê. Em muitos casos, a mãe supõe até que seu leite seja "fraco". Que grande equívoco!

A sucção é um reflexo primitivo, que surge ainda no útero, e é o meio que o bebê utiliza para se nutrir ao nascer. Contudo, ela é aperfeiçoada com o treino, ou seja, quanto mais o bebê suga, melhor ela fica em termos de força, ritmo e coordenação, garantindo assim o volume de leite necessário para a nutrição plena.

Para uma amamentação eficiente, é fundamental que a mãe esteja atenta à sua postura e à postura do seu bebê. As mamadas devem ocorrer em ambiente calmo, arejado e confortável. A mãe precisa estar bem acomodada, para isso pode lançar mão das famosas almofadas de amamentação. Numa das posições clássicas, para amamentar, o corpinho do bebê deve estar totalmente voltado para o corpo da mamãe, "barriga com barriga", a cabecinha posiciona-se na altura do cotovelo da mãe e sua boca assume uma configuração conhecida como "boca de peixinho", em que os lábios ficam evertidos (virados). Nesse momento, a maior parte da aréola do seio materno é abocanhada pelo bebê, caracterizando a "pega" correta.



A "pega" inadequada, além de interferir na sucção, é a principal causa de fissuras e rachaduras nos mamilos. A boa "pega" faz com que o bebê estimule adequadamente as mamas, assegurando satisfatória produção de leite. Quanto à sucção, sinais como estalinhos, "mordidas" no seio, pausas muito longas e engasgos podem ser indicadores de que algo está errado.

Desta forma, é fundamental que a mãe esteja atenta à "pega" e à qualidade da sução, pois o volume de leite ingerido pelo bebê está diretamente relacionado com a forma como ele abocanha e suga o seio materno.

Como vários outros profissionais de saúde, o fonoaudiólogo tem grande interesse na amamentação, pois é sugando o seio materno que o bebê exercita e fortalece os vários grupos musculares que, mais tarde, serão utilizados, por exemplo, para mastigar e para falar.


CT (S) Ana Paula Almeida do Nascimento
Fonoaudióloga do Hospital Naval Marcílio Dias