A importância da vacinação em idosos

Segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o número de pessoas maiores de 60 anos, no Brasil, mais do que triplicará nas próximas décadas: de 19,6 milhões em 2010, para 66,5 milhões em 2050. Assim, é preciso garantir a melhor qualidade de vida possível a estas pessoas e, nesse contexto, a vacinação é de extrema importância.

Por conta das alterações imunológicas ocorridas ao longo do processo natural de envelhecimento, os idosos são mais suscetíveis ao surgimento de algumas doenças infectocontagiosas, principalmente as do aparelho respiratório. Dessa forma, é fundamental que a população se conscientize sobre a importância da vacinação e se envolva nas campanhas, que muitos não participam, principalmente a da gripe. Em 2018, muitos municípios tiveram que prorrogar o prazo da campanha, pois não atingiram a meta dos grupos vulneráveis, inclusive no grupo de idosos.

A vacinação em idosos reduz as internações e o risco de morte causados por doenças cardíacas, cerebrovasculares, pneumonia ou influenza (infecção viral aguda do sistema respiratório). Desde a inserção da vacinação contra a gripe no calendário do Ministério da Saúde, observa-se uma importante modificação na utilização dos serviços de saúde pela terceira idade e no perfil de morbimortalidade (índice de mortos em decorrência de uma doença específica dentro de determinado grupo populacional). Com novos vírus e bactérias surgindo a cada ano, as vacinas têm se tornado fundamentais no combate a certas doenças, como os diferentes tipos de gripe. Especialmente para quem já é idoso, uma simples vacinação pode fazer toda a diferença.

Segundo o calendário do Ministério da Saúde, além da campanha de vacinação contra gripe, há três vacinas disponíveis para pessoas acima de 60 anos:

  • Hepatite B - Três doses, de acordo com a situação vacinal;
  • Febre Amarela - Uma dose se nunca tiver sido vacinado; e
  • Dupla adulto (DT) – Reforço a cada 10 anos.

Confira se você ou alguém na família com mais de 60 anos deve tomar as vacinas. Apenas os indivíduos que possuem alergia a ovo (usado na fabricação do imunizante) ou alguma contraindicação médica bem definida podem se isentar da vacina da gripe. Converse com seu médico.

A população está ficando mais velha, mas envelhecer com saúde é fundamental e o controle das doenças infecciosas também faz parte desse processo de envelhecimento com qualidade.


Karina Branco
Primeiro-Tenente (RM2-S)
Conselho Editorial do Saúde Naval