Preciso tomar vacina contra sarampo?

Enviado em: 25/07/2019

Nos últimos anos, o sarampo tem sido um problema de saúde pública em vários lugares do mundo. Desde 2016, o Brasil era considerado um país livre desse problema, mas a doença voltou a ser uma preocupação na vida dos brasileiros. No último ano, mais de 10 mil casos foram confirmados e 12 pessoas morreram. Além disso, em 2018, a Europa teve um aumento de 400% no número de casos comparado a 2017, e, nos Estados Unidos, 1044 casos foram confirmados no primeiro semestre de 2019.

O sarampo é uma doença extremamente contagiosa causada por um vírus e transmitida, de pessoa para pessoa, por vias aéreas. Ou seja, a respiração, um espirro ou a tosse de um doente é suficiente para o surgimento de novos casos. Pessoas entre seis meses e 39 anos de idade e profissionais da saúde apresentam maior risco de infecção por esse vírus.

Inicialmente a doença é caracterizada por febre alta, acima de 38,5°C, acompanhada de tosse, irritação nos olhos, coriza, congestão nasal e mal-estar intenso. Após alguns dias, ocorre o aparecimento de manchas vermelhas na pele que começam no rosto e se espalham até os pés.

O sarampo diminui a capacidade de defesa do organismo, aumentando o risco de complicações como otites, cegueiras, doenças diarreicas e neurológicas, principalmente nas crianças até dois anos, em especial as desnutridas, bem como nos adultos jovens. Devido ao comprometimento do sistema imunológico, as mortes normalmente são causadas por infecções secundárias, como pneumonia, principalmente em crianças menores de 5 anos.

Não existe um medicamento específico para combater o vírus. A vacinação é a única forma de prevenção e é eficaz, segura e gratuita, estando disponível em postos de saúde. Pessoas com até 49 anos, que não receberam a vacina ou não sabem se foram vacinadas, devem procurar o posto de saúde.

Indicações para vacinação

  • Aos 12 meses - 1ª dose. Tríplice viral (sarampo, rubéola e caxumba)
  • Aos 15 meses - 2ª dose. Tetra viral (sarampo, rubéola, caxumba e varicela)

Para quem não recebeu ou não sabe se recebeu a vacina quando criança:

  • De 5 a 29 anos - duas doses da tríplice viral com intervalo mínimo de um mês
  • De 30 a 49 anos - uma dose da tríplice viral, exceto para profissionais da saúde, que devem receber as duas doses.

Atenção! Segundo o Ministério da Saúde, a vacina é contraindicada para gestantes, indivíduos com hipersensibilidade à neomicina, com imunodeficiência grave ou que tenham mostrado sinais de hipersensibilidade após administração anterior de vacinas contra sarampo assim como para usuários de medicamentos quimioterápicos. Lactantes podem ser vacinadas quando o benefício superar o risco.

Thaís Giangiarulo
Técnica em Biotecnologia - IPB/HNMD



Shana Barroso
Primeiro-Tenente (RM2-S)
Pesquisadora - IPB/HNMD