Uso do Preservativo

Use preservativos

As infecções sexualmente transmissíveis (ISTs) estão entre os problemas mais comuns de saúde pública em todo o mundo. As ISTs estão associadas à transmissão do vírus da Imunodeficiência Humana (HIV) e, por isso, elas são muito debatidas nos meios científico e de comunicação.

Mais de vinte tipos diferentes de infecções são transmitidas por meio da relação sexual. Entre as ISTs mais comuns estão: infecção pelo HIV, infecções pelo Papiloma Vírus Humano (HPV), hepatite B, herpes genital, sífilis, clamídia, entre outras. Elas representam um grave problema de saúde pública por suas repercussões sociais, econômicas e na saúde das pessoas que as contraem.

Várias ISTs podem não apresentar sintomas durante muito tempo, assim muitas pessoas não buscam tratamento e acabam sofrendo complicações e sequelas. Dentre algumas repercussões das ISTs estão: a infertilidade em mulheres e homens; abortos espontâneos; baixo peso do bebê ao nascer; infecções congênitas (no caso de gestantes); câncer de colo de útero, de pênis e de ânus.

Muito se fala da gravidez indesejada. Para além da contracepção, faz-se muito necessária a conscientização de todos que praticam atividade sexual em relação ao uso dos preservativos masculinos e femininos (popularmente conhecidos como “camisinhas”). Eles são considerados muito favoráveis por conseguirem servir como método de barreira quando se deseja evitar a gravidez e, principalmente, porque o uso do preservativo é o único método capaz de proteger contra a transmissão de ISTs/HIV.

    Podemos listar outras vantagens do uso do preservativo:
  • Não é preciso ter prescrição médica para obtê-los;
  • Não possuem efeito sistêmico (no corpo todo);
  • Possuem pouquíssimos efeitos colaterais locais;
  • Pessoas que têm doenças endócrinas ou metabólicas podem utilizá-los;
  • Não requerem acompanhamento médico especializado para serem utilizados.

O preservativo masculino é fabricado em látex, poliuretano ou silicone. O material é fino, porém altamente resistente. Ele deve ser colocado de forma correta e utilizado em todas as relações sexuais para que seja realmente eficaz. Existe uma gama de tamanhos, formas, cores e texturas, além disso, os preservativos masculinos podem conter lubrificantes que favorecem a relação sexual, mas é importante atentar-se ao prazo de validade do preservativo. Jamais o utilize fora desse prazo.

O preservativo feminino, menos popular do que o masculino, também evita a transmissão das ISTs e do HIV. Consiste num saco transparente de poliuretano com um anel em cada extremidade: o anel menor é colocado dentro da vagina e encaixado no colo do útero, o maior fica do lado de fora, recobrindo os lábios vaginais. Esses preservativos também vêm lubrificados. Assim como o preservativo masculino, ele deve ser utilizado em todas as relações sexuais para ser eficaz e não pode ser utilizado fora do prazo de validade.

É importante ressaltar que apenas um preservativo deve ser utilizado a cada relação sexual. O uso de dois preservativos juntos (seja dois masculinos, dois femininos ou um masculino e um feminino juntos) na intenção de aumentar a proteção não funciona. Pelo contrário: o risco de rompimento aumenta.

Agora que você sabe um pouco mais sobre a importância de usar o preservativo, vai marcar bobeira ou vai se cuidar? Não perca tempo, previna-se!

Fonte: BRASIL. Ministério da Saúde. Cadernos de Atenção Básica. Saúde Sexual e Reprodutiva. Brasília, 2010.
Disponível em: http://189.28.128.100/dab/docs/publicacoes/cadernos_ab/abcad26.pdf

Sarah Dias Silva
Segundo-Tenente(RM2-S)
Enfermeira
Conselho Editorial do Saúde Naval