Teste do pezinho: um passo fundamental para a vida

Enviado em: 06/05/2019

A triagem neonatal foi instituída pelo Ministério da Saúde para identificar precocemente bebês com doenças metabólicas (que causam alteração no funcionamento geral do organismo), genéticas (aquelas em que ocorre alteração no DNA), enzimáticas (associadas a defeitos nas enzimas) e endocrinológicas (que dizem respeito, em grande parte, aos hormônios corporais). Assim, os casos positivos podem ser tratados em tempo oportuno, monitorados e acompanhados, evitando sequelas e até mesmo a morte.

As fases da triagem são: diagnóstico, tratamento, acompanhamento dos casos diagnosticados e uso de tecnologias voltadas para a promoção, prevenção e cuidado integral. A fase do diagnóstico é popularmente conhecida como “teste do pezinho”. Esse teste deve ser realizado até o 5º dia de vida do bebê, sendo o período ideal entre o 3º e o 5º dia de vida por conta das especificidades das doenças diagnosticadas.

As doenças que podem ser testadas são:

  • Fenilcetonúria (em que a pessoa nasce sem a capacidade de quebrar adequadamente moléculas de um aminoácido chamado fenilalanina);
  • Hipotireoidismo Congênito (quando a glândula tireoide não produz a quantidade suficiente de hormônio);
  • Doença Falciforme (que faz com que os glóbulos vermelhos fiquem deformados) e outras doenças que afetam o sangue;
  • Fibrose Cística (transtorno que danifica os pulmões e o sistema digestivo);
  • Hiperplasia Adrenal Congênita (grupo de doenças que limitam a produção de hormônios); e
  • Deficiência de Biotinidase (erro do metabolismo que consiste na deficiência da enzima responsável pela absorção e regeneração de uma vitamina existente nos alimentos).

O teste consiste na coleta do sangue periférico, que deverá ser obtido com um “furinho” em uma das laterais do calcanhar do bebê. Os responsáveis deverão segurar o bebê no colo, em pé para favorecer a coleta e para que o procedimento seja o menos incômodo possível para a criança.

Caso o resultado do exame apresente alteração, será realizada nova coleta para confirmação e encaminhamento para consulta médica especializada para que seja iniciado o acompanhamento adequado. O teste do pezinho favorece o diagnóstico precoce de diversas doenças e permite que elas sejam acompanhadas e tratadas o mais cedo possível. Não deixe de fazer no seu bebê! Cuide de quem você ama!

Sarah Dias Silva
Primeiro-Tenente (RM2-S)
Conselho Editorial do Saúde Naval