Teste do Pezinho

O Teste do Pezinho ou Teste de Triagem Neonatal é um exame laboratorial que tem função de diagnosticar precocemente o risco para algumas doenças infecciosas, metabólicas (que causam alteração no funcionamento geral do organismo) e genéticas.

É um teste de triagem, portanto, não serve para diagnosticar a doença, e sim, o seu risco. Ele é de extrema importância porque permite o tratamento precoce. Quando é uma enfermidade sem cura, o diagnóstico precoce permite intervenções que melhoram a qualidade de vida e o desenvolvimento neuropsicomotor da criança. No entanto, se essas doenças não forem diagnosticadas e tratadas com antecedência, a criança estará exposta a inúmeros problemas, que podem ser graves e irreversíveis.

Segundo o Ministério da Saúde, o Teste do Pezinho está disponível no Brasil todo, com 21.446 pontos de coleta, distribuídos na rede de Atenção Básica, Hospitais e Maternidades. Para realizar o teste, a família deve levar o recém-nascido a uma unidade básica de saúde entre o 3° e o 5° dias de vida. É fundamental ter atenção a esse prazo!

Como o teste é feito?
O exame é feita através de uma picada na parte gordinha do calcanhar do bebê, vindo daí o nome do teste, por ser uma região bastante irrigada do corpo, o que facilita o acesso ao sangue para a coleta da amostra. Caso a criança necessite colher algum exame laboratorial, é aspirado um pouco mais de sangue para a realização do Teste do Pezinho. Esse sangue é colocado em um papel filtro e irá para o laboratório para ser analisado.

O teste é uma das principais formas de diagnosticar diversas doenças. Seu resultado pode demorar uma semana ou até um mês para ficar pronto, e costuma ser retirado no local de realização ou pela internet. Não existem contraindicações para realização do teste, portanto não deixe de realizá-lo!

Karina Branco
Primeiro-Tenente (RM2-S)
Conselho Editorial do Saúde Naval