Sou sua Fã!

Carta da dengue

Olá!

Você me conhece, sou muito famosa em todo o Brasil. Sou linda e minhas pintas brancas são um charme. Adoro ambientes quentes e úmidos e me animo com a chegada do verão.

Sou muito resistente, também, e consigo montar uma enorme família com rapidez. Basta ver água parada e limpa e me alimentar de sangue quente e fresco.

Não gosto muito de passear sozinha, por isso quase sempre levo comigo os vírus da dengue, do zika e da chikungunya.

Estou aqui para te contar um segredo:
Eu adoro você!

Você, que vive reclamando que o governo, o estado e a prefeitura não fazem nada para evitar as doenças que eu transmito.

Você, que vê na televisão, ouve no rádio, lê na Internet e em panfletos espalhados por todos os lugares sobre como impedir que eu nasça, cresça e me reproduza.

Você, que vive preocupado com a piscina do vizinho, as plantas do apartamento ao lado e as poças de água que ficam nas ruas, mas deixa a água empoçada na laje depois da chuva.

Você, que rega suas plantas todo dia, mas esquece de colocar areia nos pratinhos ou de despejar a água que sobra.

Você, que deixa garrafas, baldes e bacias viradas para cima com aquele restinho de água largadas no quintal.

Você, que não cobre sua caixa d’água, seu tonel, nem limpa os ralos.

Você, que coloca água fresquinha para os seus animais na mesma vasilha, mas não as lava todo dia.

Você, que conhece vários familiares, amigos e conhecidos que já tiveram dengue, zika, chikungunya e até dengue hemorrágica.

Você, que já teve uma dessas doenças.

Você, que conhece alguém que já morreu por causa delas.

É. Eu estou falando com você mesmo!

Sou sua fã!

Obrigada por esquecer que são as suas ações que vão acabar comigo e toda a fama que eu consegui nesses anos.

Muito obrigada! Eu adoro você!

Atenciosamente,

Aedes aegypti

Ana Lucia Castilhioni
Capitão de Mar e Guerra (RM1-S)
Coordenadora do Conselho Editorial do Saúde Naval