Dia Nacional da Saúde Bucal e do Cirurgião-Dentista

Enviado em: 22/10/2020

image

Apesar de termos dentistas muito capacitados, a população brasileira ainda apresenta uma quantidade preocupante de problemas bucais devido à falta de higiene e de bons hábitos alimentares, além do consumo de álcool e cigarros. Então, como melhorar a saúde da sua boca?

É preciso ir ao dentista, de tempos em tempos, para que uma avaliação clínica detalhada seja feita considerando todas as regiões da boca. Nessa consulta, o paciente receberá orientações de autocuidado bucal, que exigem mudança de hábitos e aprendizado.

A escovação dos dentes com creme dental é a medida mais conhecida. Com ela, muitos resíduos são removidos e a pessoa fica com uma rápida sensação de frescor e de higiene. No entanto, vários especialistas afirmam que a escovação correta não é o mais importante, apesar desta percepção no senso comum. A escovação deve ser parte de um conjunto maior de ações, que incluem o bochecho, a limpeza da língua e, especialmente, o uso da fita ou fio dental.

O que você consome em sua dieta (incluindo açúcares e alimentos ultraprocessados) faz muita diferença. Evitar a permanência de alimentos (especialmente balas, biscoitos e doces em geral, que ficam mais aderidos) permite que a saliva cumpra um de seus importantes papéis: neutralizar ácidos que atacam a estrutura dos dentes.

Após uma refeição, a boca deve inicialmente ser lavada com bochecho vigoroso para eliminar a maior parte dos resíduos de alimentos. Se você usar uma prótese móvel, ela deve ser limpa com escova própria e um detergente neutro (não use creme dental em próteses).

O próximo passo é a higienização da parte superior da língua. Com o consumo de alimentos industrializados, a língua acumula uma grande quantidade de resíduos, células mortas e camadas de saliva mais viscosa. Isso piora se a pessoa fumar, ingerir álcool ou usar medicamentos que reduzam o fluxo da saliva, como os anti-hipertensivos e os ansiolíticos. Além de prevenir mau hálito, essa limpeza com escova, limpador ou gaze previne doenças na língua.

O passo seguinte é o uso da fita dental. O uso ou não da fita dental ao longo dos anos faz uma enorme diferença na qualidade da dentição de uma pessoa. A fita (ou o fio) dental é, após a adoção de uma dieta mais saudável, a principal ferramenta para uma saúde bucal excelente. Ainda pouco divulgado pela mídia, seu uso frequente depende de disciplina e de algum treinamento em frente ao espelho.

A fita deve ter uma espessura fina para passar entre os dentes, mas com uma largura suficiente para arrastar resíduos e placa bacteriana para fora dos pequenos espaços, entre os dentes e a gengiva. Nestes locais, formam-se os tipos mais graves de lesões de cáries e gengivite e essa ação permite uma durabilidade maior de restaurações e coroas, além da percepção de qualquer necessidade de ajuste nesses trabalhos.

O uso da fita ou fio dental não pode ser substituído pela escovação, pois a escova não alcança os chamados espaços interdentais. O fio dental deve ser utilizado no lugar da fita dental quando há espaços muito pequenos entre os dentes, com a orientação de um cirurgião-dentista ou de um técnico de saúde bucal. Já a escova interdental deve ser usada nos espaços aumentados entre os dentes.

O autocuidado é então finalizado com a escovação correta dos dentes.


ROBERTO PASSOS VILLAR
Capitão de Fragata (Cirurgião-Dentista)
Ajudante do Centro de Coordenação do Atendimento ao Idoso na Marinha





Veja também: