Rede de Apoio à Mãe

A rede de apoio representa qualquer pessoa que esteja disposta a ajudar a mãe no período de adaptação e contato com seu bebê, auxiliando, principalmente, nos primeiros dias após o nascimento, ao chegarem casa. Ela pode ser composta por uma ou mais pessoas da família ou amigos e as palavras fundamentais para a montagem dessa rede são disposição e disponibilidade.

Essas pessoas devem permitir que a mãe passe o maior tempo possível com o seu bebê, seja ajudando nas tarefas da casa, pagamento de contas, preparo das refeições, cuidados com filhos mais velhos, etc.

Neste período, as mães que não têm nenhum tipo de apoio, geralmente, realizam várias tarefas, ficando exaustas para um novo ciclo de cuidados ao bebê. Assim, a rede pode auxiliar, dessa forma, ficando de olho no bebê quando a mãe precisa ir ao banheiro, tomar banho, ter um tempinho seu, mesmo que rápido.

Uma dica importantíssima para as mães é a comunicação. Elas podem e devem falar, esclarecendo à rede de apoio como deve ser dada a ajuda e como gostariam que fossem realizadas as atividades, para que não ocorram intercorrências que gerem estresses.

É importante ressaltar também que os “pitacos” não são bem-vindos e que palpites não são ajuda! As mães devem se blindar contra esse tipo de informação, ressaltando que esse é o momento delas passarem pela experiência da maternidade.

A rede de apoio deve se preparar para não interferir nessa vivência e sim apoiar e acolher a mãe nessa fase tão delicada e intensa que são os 100 primeiros dias do bebê. Se for preciso, a mulher também deve procurar ajuda de especialistas para tirar dúvidas e auxiliá-la. Definitivamente, a maternidade precisa de menos julgamentos e mais apoio.


Ana Lúcia da S. Castilhioni
Capitão de Mar e Guerra(RM1-S)
Coordenadora do Conselho Editorial



Veja Mais:

Aleitamento materno: a base da vida