Precisamos falar de tuberculose

Enviado em: 23/03/2020

image

O momento é do novo coronavírus, mas, infelizmente, uma doença não elimina outras. O dia 24 de março é marcado como o Dia Mundial de Combate à Tuberculose (TB), doença infectocontagiosa causada por uma bactéria que afeta principalmente os pulmões. Esta bactéria também pode afetar os ossos, os rins e as meninges, que são as membranas que envolvem o cérebro.

O Brasil encontra-se como o 20º colocado entre 22 países responsáveis por 80% dos casos de TB no mundo. Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), em 2017, 10 milhões de pessoas adoeceram por TB e a doença pode ter causado 1,3 milhão de mortes no mundo.

A transmissão acontece por via aérea, isto é, pela tosse, espirro e fala da pessoa infectada. Os mais vulneráveis à doença são portadores do HIV, por conta da diminuição da defesa do organismo, assim como diabéticos, fumantes, pessoas que fazem uso contínuo de álcool e outras drogas, e pessoas privadas de liberdade.

Os sintomas comuns são: tosse crônica, suor noturno, cansaço, febre, falta de apetite, perda de peso e dor no peito. Para diagnosticar a TB, o médico realiza o exame clínico e confirma com outros exames como raio-x de tórax, baciloscopia e cultura do escarro do paciente.

O tratamento é feito ao longo de seis meses com medicamento por via oral (comprimidos e cápsulas). Por conta da duração, muitos pacientes abandonam o tratamento, porém, quando feito de forma correta e contínua, a maioria das pessoas fica curada da infecção. Caso o paciente interrompa o tratamento, há o risco da doença se agravar e também da bactéria se tornar mais resistente aos medicamentos, acarretando num tratamento ainda maior e com a necessidade do uso de outros fármacos associados.

Existem outras medidas, além do tratamento farmacológico, que auxiliam na cura, como:

  • Ir às consultas médicas com regularidade;
  • Tomar os remédios diariamente e na hora correta conforme o médico prescreveu;
  • Alimentar-se bem;
  • Interromper o uso de bebidas alcoólicas e de drogas; e
  • Não interromper o tratamento por conta própria.

É possível prevenir-se da TB com a vacina BCG, que diminui as chances da pessoa desenvolver as formas graves da doença, porém ela não é eficaz contra a tuberculose pulmonar. Pode-se evitar locais com aglomeração de pessoas e pouca ventilação e também lugares muito frequentados mas com pouca incidência solar, pois são propícios à propagação da doença.

A tuberculose tem cura!


1º Tenente (RM2-S) SARAH DIAS SILVA
Enfermeira
Policlínica Naval Nossa Senhora da Glória
Referência: Ministério da Saúde