Por que é tão difícil parar de fumar?

Se você insiste em fechar os olhos para os problemas do cigarro, abra os ouvidos!

Segundo a Organização Mundial de Saúde, o tabagismo é a principal causa de morte evitável no mundo, além de ser um importante fator de risco para o desenvolvimento de várias doenças, tais como: tuberculose, infecções respiratórias, úlcera gastrointestinal, dentre outras.

Nos dias atuais não é mais novidade, nem mesmo para os fumantes, que o tabagismo pode trazer graves prejuízos à saúde. Mas então, por que tantas pessoas ainda fumam?

Para responder essa pergunta é importante lembrar que o tabaco contém a nicotina, uma droga lícita capaz de provocar dependência química ou física, como muitas outras drogas. Mas, além disso, há outros aspectos a serem considerados nessa relação de dependência que o fumante passa a ter com o cigarro.

O aspecto comportamental é um deles, na medida em que o hábito de fumar acaba por promover associações entre determinadas situações e o cigarro, como após as refeições, durante o consumo de bebidas alcoólicas ou após o “cafezinho”.

Há ainda uma terceira perspectiva, muitas vezes ignorada, que diz respeito aos aspectos psicológicos do tabagismo. Trata-se da dimensão que revela a função que o cigarro possui para cada fumante. Diversas pessoas começam a fumar ou intensificam seu consumo quando se deparam com situações difíceis, utilizando a droga como artifício para dar conta de algum tipo de sofrimento, por exemplo, diante de uma separação, de um luto, como suporte em momentos de estresse ou mesmo para lidar com a solidão.

Pensando a partir dos aspectos químicos, comportamentais e psicológicos, fica mais fácil entender porque é tão difícil parar de fumar. Dependendo da função que o tabagismo apresenta para cada pessoa pode ser realmente muito penoso decidir abandonar esse hábito. Para iniciar o tratamento, algumas pessoas utilizam como estratégia a redução do número de cigarros consumidos por dia ou o adiamento do primeiro cigarro, até que seja possível abrir mão totalmente deles. Mas, caso o tabagista não consiga ou não queira fazer isso sozinho, deve procurar ajuda especializada!

No Hospital Central da Marinha (3o andar), existe um espaço de orientação e tratamento multidisciplinar especializado para tabagistas, mesmo para aqueles que ainda não estão prontos para abrir mão totalmente do cigarro!

Mais informações podem ser obtidas pessoalmente ou pelo telefone 2104-5588.


Priscilla Corrêa de Oliveira
Capitão-Tenente (S)
Conselho Editorial do Saúde Naval