Pergunte ao especialista: dúvidas sobre menopausa

Title

📅 Publicado em 22 de abril de 2024

Confira as respostas da 1T (Md) Táyra, ginecologista do Hospital Naval de Brasília, para as dúvidas da Família Naval sobre a MENOPAUSA.

Tenho 50 anos, 7 meses sem menstruar, hipotireoidismo de Haschimoto, lipedema e estou acima do peso. Estou numa fase em que sinto tudo: falta de libido, calorão, dor nas articulações, escape urinário, dor nas pernas, oscilações de humor, unhas fracas, queda de cabelo, cansaço extremo, dor de cabeça, não durmo à noite. Não sei quais sintomas são de quê. Faço atividades físicas e reeducação alimentar, mas não perco peso, isso me deixa mais frustrada ainda. É normal?

A maioria dos sintomas relatados são por causa da menopausa, desde que o hipotireoidismo esteja compensado, pois muitos desses sintomas podem ser do hipotiroidismo também. A avaliação sobre a dificuldade de perder peso é multifatorial, ainda mais com hipotireoidismo em tratamento. É necessário a avaliação do ginecologista, endocrinologista, nutricionista e seu avaliador físico.

Todos esses profissionais? Sim, são muitos profissionais para se consultar, porém não adianta iniciar hormônio se o problema é a tireoide. Com 50 anos, além da menopausa, temos o fator do metabolismo que está muito desacelerado, agravado pelo hipotireoidismo e a ausência hormonal que a menopausa traz. Por isso, a avaliação de qual tipo de exercício você está fazendo e como está a sua alimentação é de alta importância para atingir a perda de peso.

O que mais me incomoda na menopausa são os sintomas: calores, irritabilidade, dores no corpo, ressecamento de pele e diminuição da libido. É verdade que nem toda mulher tem esses sintomas? Quanto tempo leva para eles acabarem? Só acabam com reposição, ela é indicada para todas as mulheres? E as reposições chamadas “naturais”?

De fato, nem todas as mulheres experimentam esses sintomas da menopausa com a mesma intensidade. Enquanto algumas podem ter sintomas severos, outras podem passar por essa fase com desconfortos mínimos. Os sintomas geralmente são mais intensos nos primeiros cinco anos após a menopausa, mas a duração pode variar individualmente.

Quanto ao tratamento, a Terapia de Reposição Hormonal (TRH) é eficaz para muitas mulheres, mas não é adequada para todas. A necessidade de TRH deve ser avaliada por um ginecologista com base nos sintomas específicos e na saúde geral da paciente.

Conforme o último Consenso Brasileiro de Terapêutica Hormonal da SOBRAC (Associação Brasileira de Climatério), as contraindicações absolutas a TH são:

  • Doença hepática descompensada.
  • Câncer de mama.
  • Câncer de endométrio.
  • Lesão precursora para o câncer de mama.
  • Porfiria (grupo de doenças do fígado).
  • Sangramento vaginal de causa desconhecida.
  • Doenças coronariana e cerebrovascular.
  • Doença trombótica ou tromboembólica venosa (levar em conta a via de administração).
  • Lúpus eritematoso sistêmico com elevado risco tromboembólico.
  • Meningioma (apenas para o progestagênio).

E sobre as reposições chamadas “naturais”, ainda não existem muitos estudos que comprovem melhora, porém o Consenso cita possibilidades de terapias como: acupuntura, mudança do estilo de vida, isoflavonas e fitomedicamentos. Os fitomedicamentos atualmente aprovados pela ANVISA para o tratamento dos sintomas do climatério são os derivados de Glycine max L. Merr. (soja), Trifolium pratense L. e Actaea racemosa L. ou Black cohosh. Há uma grande quantidade de estudos sobre a eficácia desses produtos, porém os dados têm pouco poder estatístico. No entanto, é possível atestar alívio em muitas pacientes que utilizam esses métodos alternativos na prática clínica do consultório.

Gostaria de saber quais são os sinais de que uma mulher está realmente entrando na menopausa e se pode haver gravidez durante e depois da menopausa.

Primeiramente vamos conceituar: menopausa é o conceito que se dá quando a mulher já atingiu um ano sem menstruação e durante esse processo se dá o nome de Climatério. Os sintomas têm início no climatério, momento em que se inicia a diminuição dos hormônios femininos (estrogênio e progesterona), alguns deles são: irregularidade menstrual, ondas de calor (fogachos), ressecamento vaginal, falta de lubrificação, desconforto no ato sexual, diminuição da libido, irritabilidade, problemas de sono, atrofia vaginal, entre outros. E, por último, é muito difícil, mas durante o processo do climatério pode ocorrer a gravidez, pois pode ocorrer ovulação.

É verdade que uma mulher que começa a menstruar cedo não necessariamente entra cedo na menopausa?

Apesar de não ser uma regra, mulheres que menstruam cedo têm a tendência de entrarem na menopausa mais cedo e o contrário também procede, mas não temos comprovação científica disso, porém atestamos na prática clínica.

Por que algumas mulheres têm sintomas mais intensos do que outras e, ainda, por que algumas têm a chamada menopausa precoce?

A causa da diferença dos sintomas da menopausa entre as mulheres não é conhecida, mas já é comprovado que mulheres que têm atividade física regular, boa alimentação e controle de peso têm menos chance de terem sintomas mais fortes. Medidas de senso comum, como diminuição do consumo de álcool e cafeína, ingestão de alimentos e bebidas refrescantes, preferência por ambientes com temperatura amena e uso de roupas leves, são recomendáveis, apesar da escassez de dados provenientes de ensaios clínicos bem estruturados. A menopausa precoce é definida quando a mulher deixa de menstruar antes dos 40 anos e infelizmente, essas pacientes têm sintomas mais aflorados.

Contribuição técnica:
1T (Md) Táyra Dall'oglio Hoffmann Gomes Ferreira
Hospital Naval de Brasília

Compartilhe