Lúpus, não deixe ninguém para trás

Enviado em: 10/05/2021

image

O lúpus é uma doença causada por um desequilíbrio no sistema de defesa natural do corpo, o sistema imune, exatamente aquele que deveria proteger contra agentes externos. Nos que têm a doença, o aparato de ataque das células de defesa e o arsenal de armas produzidas para combater infecções e alergias se torna exagerado. A consequência disso? O “fogo amigo” acaba causando danos aos próprios órgãos da pessoa.

Mas, você sabia que não existe um só tipo de lúpus? São quatro tipos:

  1. Lúpus induzido por medicamentos - geralmente por período limitado e que se cura espontaneamente após a retirada do medicamento que está causando o distúrbio;
  2. Lúpus neonatal - com possíveis manifestações no bebê recém-nascido por transferência de autoanticorpos pela mãe durante a gestação e que melhora com o tratamento à medida que o bebê cresce. É uma condição rara e nada impede que uma mulher com lúpus tenha filhos saudáveis, desde que a doença esteja controlada e a gestante faça um bom acompanhamento pré-natal;
  3. Lúpus cutâneo articular - geralmente uma forma mais leve; e
  4. Lúpus eritematoso sistêmico - que pode comprometer um ou vários órgãos, sendo que a gravidade varia de uma pessoa para outra, dependendo do diagnóstico correto e do tratamento adequado para controlar os sintomas e a atividade da doença.

Segundo a Organização Mundial da Saúde, mais de 5 milhões de pessoas vivem com lúpus no mundo, sendo 90% mulheres, e pode haver alguém que tenha lúpus do seu lado e nem saiba disso. Personalidades, como as atrizes e cantoras americanas Selena Gomez e Lady Gaga, o músico e compositor britânico Seal e a apresentadora brasileira Astrid Fontenelle, falam com coragem da superação da doença pelo tratamento.

O diagnóstico precoce é importante, no entanto, não é simples. Não existe um exame único que diga se a pessoa tem ou não tem lúpus! Esse diagnóstico é feito por um conjunto de sintomas clínicos e manifestações laboratoriais. Muitas vezes, também, outras doenças são confundidas com lúpus.

Por isso, se você conhece alguém que tenha três ou mais das manifestações descritas no quadro abaixo e que não possam ser explicadas por doenças infecciosas ou de outra natureza, procure uma avaliação do seu médico. Não deixe ninguém ficar para trás! Ajude!

Sintomas que podem aparecer em pessoas com lúpus:

  • Perda de peso sem motivo aparente;
  • Perda de apetite e fraqueza;
  • Febre acima de 37,5 graus Celsius;
  • Queda exagerada de cabelos pela raiz;
  • Lesões cutâneas avermelhadas que pioram após tomar sol, mais frequentes em forma de moedas ou asas de borboleta nas maçãs do rosto;
  • Dor e inflamação nas articulações que pioram em repouso;
  • Aftas dolorosas na boca, nariz ou mesmo nos genitais;
  • Anemia por hemólise, baixa de células brancas do sangue ou de plaquetas;
  • Aumento de volume de linfonodos, do baço ou do fígado;
  • Água na pleura (membrana do pulmão) ou no pericárdio (membrana do coração);
  • Podem ocorrer ainda manifestações psiquiátricas, neurológicas e em outros órgãos como rins, pulmão, vasos sanguíneos ou coração.

Com conscientização e informação, você pode cuidar da sua saúde e ajudar quem está ao seu redor. Mantenha hábitos de vida saudáveis. Cuide do corpo e da mente! Dê uma força para o seu organismo. 10 de maio: Dia Mundial do Lúpus.



CMG (Md) Solange Murta Barros
Reumatologista
Hospital Naval Marcílio Dias




Veja também: