Infecções Sexualmente Transmissíveis: previna-se!

image

Trinta e cinco milhões de pessoas vivem com HIV/AIDS no mundo e, por dia, um milhão de pessoas adquirem uma Infecção Sexualmente Transmissível (IST). Estes números merecem ser lembrados, pois as IST podem matar e a única maneira de evitá-las é se prevenindo.

Confira o texto do Chefe da Clínica de Doenças Infecciosas e Parasitárias (DIP) do HNMD e fique por dentro do assunto. Tenha cautela ao ter relações sexuais e cuide do seu corpo e da sua saúde.

O que são IST?

A partir de 2016, o Ministério da Saúde passou a utilizar a nomenclatura “IST”, que significa Infecção Sexualmente Transmissível, no lugar de DST. O “D” da denominação anterior vem de “doença”, que implica em sinais e sintomas visíveis no organismo da pessoa afetada, o que nem sempre ocorre.

As Infecções Sexualmente Transmissíveis, entre elas o HIV, Hepatite B, Hepatite C, Sífilis, Cancro Mole, HPV, Herpes Vírus, entre outras, são infecções de transmissão principalmente pelo sexo. Muitas delas podem ser graves levando ao nascimento de bebês prematuros, causar infertilidade, disfunções sexuais, câncer e até mesmo a morte.

Quem pode ter uma IST?

Qualquer pessoa pode ter uma IST, desde que tenha relações sexuais sem camisinha e/ou use drogas injetáveis e compartilhe seringas e agulhas.

Quais os principais sintomas das IST?

  • Úlceras (feridas): aparecem nos órgãos genitais ou em qualquer parte do corpo. Podem ser dolorosas ou não;
  • Corrimentos: aparecem tanto no homem quanto na mulher no canal da uretra, vagina ou ânus. Podem ser esbranquiçados, amarelados, com ou sem pus. Podem ter cheiro forte e ruim; e
  • Verrugas: são como caroços, podem ser grandes especialmente em doença mais avançada, em geral não doem. Podem coçar e provocar irritação na pele.

Como se prevenir das IST?

O uso da camisinha é a forma mais eficaz de prevenção, mas quando ocorrer falta do uso ou rompimento da camisinha durante a relação sexual, procure atendimento médico imediatamente. Existem formas de prevenção com medicamentos que podem ajudar a reduzir o risco de infecção para algumas das IST. Porém, lembre-se que usar o preservativo é um ato de responsabilidade.

Como tratar as IST?

Cada IST possui um tratamento específico. Siga todas as orientações do profissional de saúde e tome os medicamentos da forma correta, realizando o tratamento até o fim, mesmo que não haja mais sintomas. Lembre-se que todos os parceiros de uma pessoa infectada devem também ser tratados.


Romero José de Carvalho Junior
Capitão de Corveta (Md)
Chefe da Clínica de Doenças Infecciosas e Parasitárias (DIP) do HNMD