Dia Mundial da Infância: o impacto da Internet na vida de crianças e adolescentes

Enviado em: 21/03/2019

dia da criança

Celebrado em 21de março, o Dia Mundial da Infância foi criado para propor uma conscientização coletiva sobre as condições econômicas, sociais e educacionais as quais as crianças, no mundo todo, estão vivendo.A data também reflete os valores que acabam influenciando em suasformações e que podem impactá-las quando adultos.

Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), o Brasil é o país que concentra o maior número de pessoas com ansiedade e depressão no mundo. Essas doenças têm muitas causas, mas, segundo pesquisadores, quando apresentadas em jovens, podem estar ligadas ao consumo em excesso de mídias sociais.

De acordo com a Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP), a dependência ou o uso problemático dessas mídias, além de causar problemas mentais e aumento da ansiedade, também gera transtornos de sono e alimentação, sedentarismo, problemas auditivos, visuais e posturais, entre muitos outros.

A participação de crianças e adolescentes no mundo virtual requer cuidados redobrados para que esse ambiente não interfira de forma negativa na saúde dos jovens.Para ajudar os pais nesse sentido, confira algumas recomendações da SBP:

  • Limitar o tempo de exposição às mídias ao máximo de 1 hora por dia, para crianças entre 2 a 5 anos de idade.
  • Crianças entre 0 a 10 anos não devem fazer uso de televisão ou computador nos seus próprios quartos.
  • Adolescentes não devem ficar isolados nos seus quartos ou ultrapassar suas horas saudáveis de sono (8-9 horas por noite).
  • Crianças menores de 6 anos precisam ser mais protegidas da violência virtual, pois não conseguem separar a fantasia da realidade.
  • Equilibrar as horas de jogos online com atividades esportivas, brincadeiras, exercícios ao ar livre ou em contato direto com a natureza.
  • Conversar sobre as regras de uso da Internet, configurações para segurança e privacidade e sobre nunca compartilhar senhas, fotos ou informações pessoais ou se expor nawebcam, mesmo com pessoas conhecidas em redes sociais.
  • Monitorar os sites e aplicativos que estão sendo acessados, sobretudo as trocas de mensagens em redes sociais.
  • Usar antivírus e softwares atualizados ou programas que servem de filtros de segurança e monitoramento para palavras ou categorias ou sites. Alguns restringem o tempo de uso de jogos online e o uso de aplicativos e redes sociais por faixa etária.
  • Ensinar a bloquear mensagens ofensivas ou inapropriadas, redes de ódio, violência ou intolerância ou vídeos com conteúdos sexuais e como denunciar o cyberbullying(violência praticada contra alguém por meio da internet ou de outras tecnologias relacionadas)usando a SaferNet Brasil ou o Disque-denúncia.

Lembre-se sempre: conhecer os termos, jogos, influenciadores digitais, aplicativos, estar por dentro dos últimos assuntos e compreender o ambiente virtual de uma forma geral, auxiliará os pais a se antecipar aos problemas e a conversar com seus filhos de forma mais próxima, clara e objetiva.

Fonte: www.sbp.com.br

Comitê de Comunicação do Saúde Naval



Veja mais: