Hepatites virais: você pode ter sem saber

Enviado em: 25/07/2019

image

As hepatites virais são doenças silenciosas, que provocam inflamação do fígado e nem sempre apresentam sintomas. No Brasil, segundo o Ministério da Saúde, em sua maioria, as hepatites são causadas pelos vírus A, B, C ou D, sendo a hepatite E mais comum no continente africano.

Elas representam um problema de saúde pública importante, pois é grande o número de pessoas atingidas e não identificadas. Quando não diagnosticadas, podem acarretar complicações das formas agudas e crônicas, muitas vezes levando à cirrose ou ao câncer de fígado.

Como saber se a pessoa foi infectada?

Para a hepatite A, além do diagnóstico por exame laboratorial, pode haver a confirmação pelo histórico pessoal, investigando se entrou em contato com alguém que teve a doença ou pelas condições de saneamento básico e higiene as quais se deparou. Já as hepatites B, C e D só podem ser diagnosticadas por meio de exames de sangue específicos.

Como são transmitidas?

Hepatites A e E - São doenças virais agudas (o paciente pode se recuperar completamente, eliminando o vírus do organismo), de transmissão fecal-oral, ou seja, podem ser transmitida por contato entre indivíduos, pela água ou por alimentos contaminados, por mãos mal lavadas ou sujas de fezes e por objetos que estejam contaminados pelo vírus. Geralmente, a infecção é benigna em crianças e mais grave em adultos, mas podem ocorrer formas fulminantes da doença, levando o indivíduo a óbito.

É importante lembrar que pessoas que já tiveram hepatite A apresentam imunidade para a doença, mas não estão livres de contrair as outras hepatites virais.

Hepatite B - Como o vírus está presente no sangue, no esperma e no leite materno, a hepatite B é considerada uma doença sexualmente transmissível. Sua transmissão pode ocorrer por meio de:

  • relações sexuais sem proteção;
  • compartilhamento de seringas e agulhas contaminadas;
  • colocação de piercing, procedimentos de tatuagem e manicure/ pedicure/ barbearia com materiais não esterilizados;
  • compartilhamento de utensílios e objetos de higiene contaminados com sangue (escovas de dente, lâminas de barbear ou de depilar);
  • acupuntura, procedimentos médico-odontológicos, transfusão de sangue, hemoderivados e hemodiálise sem as adequadas normas de biossegurança;
  • verticalmente - de mãe para filho - durante a gestação ou parto, pela exposição do recém-nascido ao sangue materno.

Hepatite C - As formas de transmissão da hepatite C são semelhantes às da hepatite B, porém, a via sexual e a vertical (de mãe para filho) são menos frequentes.

Hepatite D - Só terão hepatite D as pessoas que já estão infectadas pelo vírus da hepatite B. Sua transmissão é semelhante à hepatite B.

Sinais e sintomas das hepatites virais

As hepatites virais podem não apresentar sinais e sintomas, porém, quando estes aparecem, podem ser:

  • Febre;
  • Vômito;
  • Fraqueza;
  • Mal-estar;
  • Dor abdominal;
  • Enjoo/náuseas;
  • Perda de apetite;
  • Urina escura (cor de Coca-Cola);
  • Icterícia (olhos e pele amarelados);
  • Fezes esbranquiçadas (como massa de vidraceiro).

Como se proteger da hepatite A?

  • Lavar as mãos após ir ao banheiro, ao trocar fraldas e antes de comer ou preparar alimentos;
  • Lavar (com água tratada, clorada ou fervida) os alimentos que serão consumidos crus;
  • Cozinhar bem os alimentos antes de comer (principalmente, mariscos e frutos do mar);
  • Lavar adequadamente pratos, copos, talheres e mamadeiras;
  • Não tomar banho ou brincar perto de valões, riachos, chafarizes, enchentes ou próximo de onde haja esgoto a céu aberto;
  • Caso haja algum doente com hepatite A em casa, utilizar hipoclorito de sódio ou água sanitária ao lavar o banheiro.

Como se proteger das hepatites B, C e D?

  • Vacinar-se contra a hepatite B (3 doses), disponíveis no calendário vacinal nacional;
  • Usar sempre camisinha nas relações sexuais;
  • Exigir material esterilizado ou descartável nos consultórios médicos, odontológicos e de acupuntura;
  • Exigir material esterilizado ou descartável nos locais de realização de tatuagens e colocação de piercings, barbearias e nos salões de manicure/ pedicure;
  • Não compartilhar escovas de dente, lâminas de barbear ou de depilar;
  • Não compartilhar agulhas ou seringas;
  • Buscar atendimento médico se apresentar qualquer sinal ou sintoma da doença ou em caso de exposição a alguma situação de transmissão das hepatites virais.

Previna-se, proteja-se e informe-se. Cuide da sua saúde, cuide de você.

Ana Lúcia S. Castilhioni
CMG (RM1-S)
Coordenadora Institucional do Saúde Naval





Saiba mais em: