Glaucoma: enxergar os sintomas é fundamental

Enviado em: 26/05/2019

O glaucoma é uma doença ocular caracterizada pela alteração do nervo óptico e, consequentemente, perda de campo visual. Considerada a principal causa de cegueira irreversível no mundo, de modo geral, a doença aparece com mais frequência ao longo dos anos, mas pode ocorrer em qualquer faixa etária.

Na maioria dos casos, é uma doença assintomática no início. A perda visual só ocorre em fases mais avançadas e compromete primeiro a visão periférica, depois, o campo visual vai estreitando progressivamente até transformar se em visão tubular. Sem tratamento, o paciente fica cego.

Dois sinais merecem atenção: pressão intraocular acima da média e alterações no nervo óptico, perceptíveis no exame de fundo de olho. Outros fatores podem ajudar a confirmar o diagnóstico. São fatores de risco:

  • Negros
  • Idade acima de 35 anos
  • Portadores de diabetes
  • Histórico familiar

O tipo mais comum de glaucoma, crônico ou de ângulo aberto, tende a ser hereditário, mas sua causa é desconhecida. Nele, um aumento na pressão ocular desenvolve-se lentamente com o passar do tempo.

A melhor maneira de prevenir o glaucoma é consultar um médico oftalmologista pelo menos uma vez por ano. Sendo uma doença crônica e sem cura, ele pode ser controlado com o uso de medicamentos apropriados. Muitas pessoas deixam de seguir as recomendações do médico, primeiro pela ausência de sintomas, depois, porque os medicamentos são muito caros.

Consulte com regularidade o oftalmologista, principalmente a partir dos 35 anos. O diagnóstico precoce é fundamental para o controle da doença.

Eller Daniel Busatto Heringer Werner
Primeiro-Tenente (Md)
Conselho Editorial do Saúde Naval




Veja mais:



Faça o Teste