Endocardite infecciosa

Abra os ouvidos para a endocardite infecciosa.

Endocardite infecciosa, também chamada endocardite bacteriana, é uma infecção do endocárdio (revestimento interno do coração) causada por bactérias que entram na corrente sanguínea (bacteremia). Pessoas com alterações no endocárdio como, por exemplo, com cardiopatias congênitas (defeitos cardíacos presentes desde o nascimento), prolapso de válvula mitral (sopro) e próteses de válvulas, têm um risco maior de desenvolver endocardite.

Procedimentos odontológicos clínicos ou cirúrgicos podem causar bacteremia e, consequentemente, aumentar a chance de endocardite infecciosa. Esses procedimentos são aqueles em que o dentista manipula a gengiva, intervém na região em torno da raiz dentária, ou perfura a mucosa oral, dentre eles:

  • Extrações dentárias;
  • Implante e reimplante dentário;
  • Procedimentos periodontais tais como cirurgia, raspagem e polimento radicular (limpeza profunda na raiz dos dentes), sondagem (investigação da condição dos dentes e gengivas), inserção subgengival de fibras e tiras contendo antimicrobianos e tratamento de manutenção;
  • Limpeza profilática de dentes ou implantes, quando existe expectativa de sangramento;
  • Cirurgia ou instrumentação endodôntica, indicada em casos de persistência de inflamações ou retratamentos;
  • Colocação de bandas ortodônticas, também conhecidas como anéis, usados nos aparelhos dentários; e
  • Injeção de anestésico local pela técnica intraligamentosa, em casos em que é necessário fazer uma reanestesia.

Prevenção
Como forma de prevenir a endocardite infecciosa em cardiopatas que precisam se submeter a um dos procedimentos acima listados, a Associação Americana do Coração (American Heart Association - AHA) recomenda a administração de antibióticos uma hora antes dos procedimentos dentários, a chamada profilaxia antibiótica. A profilaxia antibiótica com amoxicilina, clindamicina, ou outros tipos de antibióticos em doses específicas, está indicada para pacientes com:

  • Válvulas protéticas;
  • Endocardite infecciosa prévia;
  • Cardiopatias congênitas; e
  • • Pacientes com coração transplantado com valvulopatia (doenças que atingem as válvulas cardíacas)

Sintomas
A endocardite infecciosa tem consequências locais e sistêmicas, e grande probabilidade de levar o paciente a óbito, mesmo com tratamento adequado. Os sinais e sintomas são inespecíficos, variando de febre, sudorese noturna, fadiga, mal-estar e perda de peso. Podem ocorrer calafrios e artralgias (dores em uma ou mais articulações), ou piora do quadro congênito apresentado.

É de suma importância que o paciente com problema no coração mantenha a integridade dos tecidos bucais e a saúde bucal e, principalmente, que informe o dentista sobre sua cardiopatia e medicamentos que faz uso.

JULIANA CRISTINA CARLOS
Capitão-tenente (CD)
Dentista na Odontoclínica Central da Marinha





Fontes:https://www.msdmanuals.com
AHA Guideline 2018

Para saber mais, leia: