Dia Mundial do Coração - é tempo de protegê-lo

Enviado em: 27/09/2021

image

Em 29 de setembro, celebramos o Dia Mundial do Coração, uma data dedicada à reflexão sobre a saúde deste órgão. A campanha é para conscientizar a sociedade quanto à alta prevalência* das doenças cardíacas na população e sua gravidade. Trata-se, sem dúvida, de uma questão de saúde pública.

Os números previstos para as doenças do coração em nosso país, em 2021, são extremamente preocupantes, chegando a 14 milhões de pacientes portadores de doenças cardiovasculares, com cerca de 400.000 mortes no ano, segundo a Sociedade Brasileira de Cardiologia.

O infarto agudo do miocárdio, as arritmias cardíacas, as doenças cardíacas estruturais, como, por exemplo, doenças valvares e defeitos congênitos e a insuficiência cardíaca são algumas das doenças que afetam o coração. Geralmente, elas requerem internações hospitalares e procedimentos de alta complexidade como:

  • o cateterismo cardíaco;
  • angioplastias coronarianas com stents;
  • trocas valvares percutâneas;
  • correções de defeitos cardíacos congênitos;
  • cirurgias cardíacas;
  • estudos eletrofisiológicos; e
  • implantes de marcapassos.


Prevenção

Hoje, o Sistema de Saúde da Marinha dispõe de ampla estrutura para o tratamento das doenças do coração, mas, com certeza, é muito melhor preveni-las. Por isto, o engajamento da sociedade na prevenção das doenças cardiovasculares é muito importante e terá como consequência a preservação de milhares de vidas.

Estudos científicos recomendam que a prevenção das cardiopatias comece ainda na infância, pois sabemos que a aterosclerose (processo de depósito de gordura nas artérias) começa ainda na infância e se manifestará como doença cardiovascular na fase adulta. Este é um fato que devemos considerar em relação às crianças, pois tem sido observado um significativo aumento da obesidade infantil no Brasil. Ainda devemos notar que a incidência das doenças cardiovasculares nos jovens e nas mulheres tem se elevado nos últimos anos.

Quando nos referimos à prevenção, estamos apontando para medidas eficazes no combate aos fatores de risco para doença cardiovascular como:

  • controlar a pressão arterial e a diabetes;
  • controlar os níveis de colesterol e triglicerídeos;
  • reduzir peso corporal;
  • cessar o tabagismo; e
  • lutar contra o sedentarismo e estados de estresses.


As medidas que protegem o coração devem ser adotadas o mais precocemente possível, especialmente as que abordam a prática de atividades físicas regulares, a dieta balanceada e o abandono do tabagismo.

Atividades físicas regulares, de 3 a 5 vezes por semana, promovem redução importante dos riscos de doenças cardíacas.  Tais medidas cardioprotetoras devem estar associadas às consultas regulares multidisciplinares com profissionais de saúde e à perfeita adesão por parte do paciente ao tratamento proposto.

Portanto, Família Naval, é tempo de proteger nossos corações com as medidas acima e mantê-los saudáveis. 


Carlos José Francisco Cardoso
Capitão de Fragata (Md)
Cardiologista Intervencionista - Serviço de Hemodinâmica do
Hospital Naval Marcílio Dias



*prevalência é o número de casos em uma população definida em um certo ponto no tempo