Você sabia que o diabetes pode afetar seus rins?

Enviado em: 05/03/2021

image

Os rins são os responsáveis pela filtragem do sangue e consequente eliminação de substâncias indesejadas do organismo. São órgãos extremamente importantes, mas existem algumas doenças que afetam sua função, sendo o diabetes uma delas.

Segundo a Sociedade Brasileira de Diabetes, a insuficiência renal provocada pelo diabetes acontece em cerca de 34% nos pacientes com diabetes mellitus tipo 1 (comumente diagnosticado durante a infância) e em cerca de 37% nos pacientes com diabetes mellitus tipo 2 (aquela que aparece, geralmente, na fase adulta).

Quando o diabetes afeta os rins, acontece a chamada nefropatia diabética. Você já ouviu falar? Ela é capaz de alterar os vasos sanguíneos, levando à perda de proteínas pela urina e, consequentemente, à redução da função renal.

A lesão do órgão não acontece do dia para noite. Muito pelo contrário. É progressiva e ocorre lentamente, levando geralmente entre 10 e 20 anos do início da doença. Isso mesmo, 10 a 20 anos. Bastante tempo. Por isso, é preciso prestar atenção aos sinais que a doença dá ao longo do caminho.

Na fase inicial, a nefropatia diabética não apresenta sintomas. O sinal mais precoce é o aparecimento de proteína na urina. Posteriormente, pode evoluir para inchaço nas pernas e nas pálpebras, hipertensão, além de urina espumosa, que ocorre quando a perda de proteínas pela urina já está elevada.

Caso não haja tratamento adequado, pode acontecer a falência renal e até a necessidade de hemodiálise. É importante ficar atento aos fatores de risco para o desenvolvimento da doença. Obesidade, hipertensão arterial e desequilíbrio da glicose são sinais vermelhos que devem manter você alerta.

O diagnóstico é simples, feito pelo exame de sangue e de urina, que pode ser solicitado pelo médico do Serviço de Medicina Integral (SMI). Caso haja necessidade, o paciente será encaminhado ao nefrologista. Saiba quais Unidades de Saúde oferecem atendimento do SMI em www.saudenaval.mar.mil.br/smi.

Importante lembrar que o melhor tratamento ainda é a prevenção. Para se prevenir, você deve:

  • controlar a glicose;
  • cuidar da pressão arterial;
  • ficar atento ao colesterol;
  • fazer exames regularmente;
  • praticar atividades físicas; e
  • manter uma dieta balanceada.

O nome da doença (nefropatia diabética) é até complicado, mas a prevenção é simples. Essas atitudes básicas, sempre guiadas por um profissional, são essenciais para a prevenção. Cuide da sua saúde e de quem você ama.


CT (Md) Tatiana de Oliveira
Nefrologista do Hospital Naval Marcílio Dias




Veja também: