Dia da Infância


“Prestem atenção no que eu digo,
pois eu não falo por mal:
os adultos que me perdoem,
mas ser criança é legal!
(...)
Mas se tudo o que fizeram
já fugiu de sua lembrança,
fiquem sabendo o que eu quero:
mais respeito eu sou criança! ”- Pedro Bandeira

Os versos de Pedro Bandeira, no poema “Mais respeito, eu sou criança”, são uma forma de chamarmos atenção para o Dia da Infância, celebrado em 24 de agosto. Essa data não tem nada em comum com o Dia das Crianças, comemorado em 12 de outubro. É uma data instituída pelo Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF) com a finalidade de promover uma reflexão sobre as condições sociais, econômicas e educacionais em que as crianças vivem no mundo inteiro.
Em 20 de novembro de 1959, foi aprovada a Declaração dos Direitos das Crianças, com 10 princípios que devem ser seguidos por todos:

  • Todas as crianças são iguais e têm os mesmos direitos, não importa sua cor, raça, sexo, religião, origem social ou nacionalidade.
  • Todas as crianças devem ser protegidas pela família, pela sociedade e pelo Estado, para que possam se desenvolver fisicamente e intelectualmente.
  • Todas as crianças têm direito a um nome e a uma nacionalidade.
  • Todas as crianças têm direito à alimentação e ao atendimento médico, antes e depois do seu nascimento. Esse direito também se aplica à sua mãe.
  • As crianças portadoras de dificuldades especiais, físicas ou mentais, têm o direito a educação e cuidados especiais.
  • Todas as crianças têm direito ao amor e à compreensão dos pais e da sociedade.
  • Todas as crianças têm direito à educação gratuita e ao lazer.
  • Todas as crianças devem ser socorridas em primeiro lugar em caso de acidentes ou catástrofes.
  • Todas as crianças devem ser protegidas contra o abandono e a exploração no trabalho.
  • Todas as crianças têm o direito de crescer em ambiente de solidariedade, compreensão, amizade e justiça entre os povos.

Embora as crianças estejam protegidas por lei, sabemos que, no mundo todo, centenas de crianças sofrem maus tratos, preconceitos e são exploradas por adultos de diversas formas.

Que tal aproveitar esta oportunidade para fazer algo relevante pelas crianças? Quer algumas ideias para ajudar e divertir as suas crianças, as da escola, as mais carentes, as da vizinhança?

  • Aconselhe seu filho a ajudar um amigo da escola que está com dificuldade;
  • Recolha brinquedos de seus filhos e da vizinhança para distribuir às crianças mais carentes;
  • Organize uma festa infantil, uma reunião para contar histórias, para troca de livros ou brinquedos na sua vizinhança ou comunidade;
  • Junte as crianças da vizinhança e ensine brincadeiras antigas que você adorava quando tinha a idade deles; e
  • Pense nas necessidades da escola e da comunidade. Crie ou participe de atividades importantes para as crianças.

Do seu jeito, colabore para que as crianças sejam mais felizes e aproveitem o Dia da Infância.


Ana Lúcia S. Castilhioni
Capitão de Mar e Guerra (RM1-S)
Coordenadora do Conselho Editorial do Saúde Naval