Trombose Venosa profunda: como evitar

trombose

A trombose venosa profunda, popularmente conhecida apenas como trombose, é uma doença que acontece de forma súbita após a formação de um coágulo (trombo), dentro do sistema venoso mais profundo nos membros inferiores. Esse coágulo pode ainda se deslocar e obstruir o fluxo sanguíneo de órgãos importantes, levando a condições de saúde graves, como quando acomete o pulmão, fenômeno chamado de tromboembolismo pulmonar ou embolia pulmonar, que pode causar a morte. A trombose ainda pode ocasionar o surgimento de feridas nas pernas e a necessidade de afastamento do trabalho.

Em pessoas ativas e saudáveis, a doença pode ocorrer principalmente em mulheres jovens por meio do uso de anticoncepcionais. Outro fator de risco é viajar por grandes distâncias, já que a imobilidade causada pela permanência por longos períodos em posição sentada pode levar a uma estagnação do fluxo do sangue no interior do vaso, favorecendo o surgimento de trombos. Quando ocorre no avião, ela é descrita como “Síndrome da classe econômica”, mas pode ocorrer também na primeira classe. O problema não é restrito ao avião, podendo acontecer no carro, no ônibus, no trem ou em qualquer meio de transporte, pois o que realmente importa é o tempo de imobilidade, ou seja, “ficar parado".

A maior parte das pessoas que tem trombose numa viagem ou após início do uso de anticoncepcionais orais apresenta, pelo menos, mais um fator de risco, como sobrepeso, hipertensão arterial, sedentarismo, veias varicosas (varizes) e tabagismo.

A recomendação para mulheres em idade fértil que pretendem iniciar o uso de anticoncepcionais orais é que o façam com orientação médica. Assim, a escolha do tipo e a necessidade de um rastreio mais minucioso serão realizados de acordo com cada caso.

Nos casos de viagens de longa distância, o uso de meia elástica durante o trajeto não só diminui os sintomas da imobilidade prolongada, como inchaço, sensação de peso e dor nas pernas, como também previne a formação do trombo. Mesmo para quem não tem fatores de risco, o uso da meia elástica pode ser benéfico, mas é essencial que ela tenha sido adequadamente medida e adaptada para a sua perna. Nunca utilize meias velhas ou emprestadas, compre em lojas especializadas com ajuda de um vendedor que meça sua perna.

Outra tática eficaz durante as viagens longas é a realização de exercícios musculares com as pernas e de caminhadas frequentes. Levante e abaixe os pés em sequências de dez movimentos com o intuito de contrair a panturrilha e lembre-se de ingerir bastante líquido para deixar o sangue bem fluido. Não fique com receio de ter que ir ao banheiro, pois essa movimentação também contribuirá para a prevenir a trombose, e evite o consumo exagerado de álcool e pílulas para dormir. A ideia de dormir e acordar no local de destino pode ser tentadora, mas, com certeza, os riscos de trombose aumentarão. Vista preferencialmente roupas confortáveis e largas, nada que aperte ou comprima a circulação. O uso de anticoagulante ou antiagregante deve ser realizado somente com indicação médica por aquelas pessoas cujos benefícios superem os riscos do uso da medicação.

Fontes:
www.sbacv.com.br
www.vascularpro.com.br/trombose-e-embolia

Marisa Baltar Martins
Capitão de Fragata (Md)
Assistente da Clínica de Cirurgia Vascular
Hospital Naval Marcílio Dias