Sífilis

Sifilis

A Sífilis é uma doença sexualmente transmissível (DST), causada pela bactéria Treponema Pallidum, que pode causar sérios danos à saúde se não tratada. Ela é dividida em 4 estágios diferentes de acordo com a evolução da doença: Primária, Secundária, Terciária e Congênita.

Atualmente, temos observado um aumento alarmante nos casos de Sífilis adquirida no País e no Mundo.
A estimativa da Organização Mundial de Saúde é que temos 30 milhões de novos casos/ano no mundo. No Brasil, essa estimativa é de 3,5 milhões de novos caso/ano.Esse cenário é assustador, tendo em vista que o meio de transmissão da sífilis é o mesmo que de outras DST, como a AIDS. Olhando por este ângulo, podemos afirmar que, anualmente, temos 3,5 milhões de brasileiros se expondo à AIDS.

Sífilis primária
É o estágio inicial da doença, que surge cerca de 3 semanas após o contágio. Essa fase é caracterizada pelo aparecimento do cancro duro, pequenas lesões indolores e avermelhadas nos órgãos genitais que acabam desaparecendo após 4 ou 5 semanas, mesmo sem tratamento e sem deixar cicatrizes. Essas lesões são altamente infectantes.

Nos homens, essas feridas geralmente aparecem em volta do prepúcio, enquanto nas mulheres elas surgem nos pequenos lábios e na parede vaginal. Também é comum o aparecimento dessa ferida no ânus, na boca, na língua, nas mamas e nos dedos das mãos.

ferida

Sífilis secundária
Os sintomas da sífilis secundária surgem cerca de 6 a 8 semanas depois do desaparecimento das lesões causadas pela sífilis primária. Nessa nova fase, as lesões aparecem espalhadas na pele e nos órgãos internos do corpo.

    Alguns dos sintomas dessa fase são:
  • Manchas vermelhas na pele, na boca, no nariz, nas palmas das mãos e nas plantas dos pés;e
  • Descamação da pele.

ferida_sifilis_descamação

Sífilis terciária
A sífilis terciária aparece em pessoas que não trataram adequadamente a doença na sua fase secundária.

    Alguns dos sintomas da sífilis nesse estágio são:
  • Lesões maiores na pele, boca e nariz;
  • Problemas em órgãos internos: coração, nervos, ossos, músculos, fígado e vasos sanguíneos;
  • Rigidez do pescoço, com dificuldade para movimentar a cabeça;
  • Convulsões;
  • Perda auditiva;
  • Vertigem, insônia e AVC;e
  • Delírios, alucinações, diminuição da memória recente, da capacidade de orientação, de realizar cálculos matemáticos simples e de falar.

Esses sintomas costumam surgir depois de 10 a 30 anos da infecção. Por isso, para evitar complicações em outros órgãos do corpo, deve-se fazer o tratamento logo após o surgimento dos primeiros sintomas da sífilis.

Sífilis Congênita
A sífilis congênita é quando o bebê é infectado com sífilis ainda durante a gestação e isso acontece quando a mulher grávida tem sífilis e não faz o tratamento da doença. A pesquisa de sífilis faz parte dos exames do Pré-Natal.A sífilis durante a gravidez pode causar aborto, más-formações ou morte do bebê ao nascer. Em bebês vivos, os sintomas podem surgir desde as primeiras semanas de vida até mais de 2 anos após o nascimento.

    Alguns desses sintomas são:
  • Manchas arredondadas de cor vermelhopálido ou cor de rosa na pele, incluindo a palma das mãos e a sola dos pés;
  • Problemas nos ossos e nos dentes;
  • Perda da audição;e
  • Deficiência mental.

Diagnóstico e Tratamento
O diagnóstico depende da história clínica, exame físico e laboratorial, que envolve várias técnicas e depende do estágio em que a doença se encontra.Na sífilis primária, pode ser realizada a pesquisa direta da bactéria por microscopia de campo escuro.Os exames laboratoriais (de sangue) são divididos em testes não treponêmicos (VDRL e RPR) e os testes treponêmicos (FTA-Abs, MH-TP, Elisa).

A doença pode ser tratada com antibióticos injetáveis, como a Penicilina Benzatina (Bezentacyl).Na ausência destes medicamentos, podem ser usadas outras opções de antibióticos, como a eritromicina ou a doxiciclina.

Mas lembre-se: a prevenção é o fator mais importante no combate à sífilis e demais DST. Cuide da sua saúde e use preservativos

Fontes: Urologia Brasil.

Bernardo Belchior Hermanson
Capitão de Corveta(Md)
Encarregado da Clínica de Urologia
Policlínica Naval Nossa Senhora da Glória