Programa de Pneumologia Sanitária – Tuberculose

image

A tuberculose (TB) é uma doença infecciosa e transmissível, que afeta prioritariamente os pulmões. Anualmente, são notificados cerca de 6 milhões de novos casos em todo o mundo, levando mais de 1 milhão de pessoas a óbito. Entretanto, a doença é curável. O surgimento da AIDS e o aparecimento de focos de tuberculose resistentes aos medicamentos agravam ainda mais esse cenário.

No Brasil, a tuberculose é um sério problema da saúde pública, com profundas raízes sociais. A cada ano, são notificados aproximadamente 70 mil casos novos e ocorrem 4,6 mil mortes em decorrência da doença. O Brasil ocupa o 17º lugar entre os 22 países responsáveis por 80% do total de casos de tuberculose no mundo.

O que é tuberculose?
Doença infectocontagiosa causada por uma bactéria, o Mycobacterium tuberculosis, conhecido como Bacilo de Koch, que afeta principalmente os pulmões, mas também pode ocorrer em outros órgãos do corpo, como ossos, rins e meninges (membranas que envolvem o cérebro).

Quais os sintomas?

Alguns pacientes não exibem nenhum indício da doença, outros apresentam sintomas aparentemente simples que são ignorados durante alguns anos (ou meses). Contudo, na maioria das pessoas infectadas, os sinais e sintomas mais frequentemente são inicialmente uma tosse seca e contínua, que evolui com presença de secreção, e que persiste por mais de quatro semanas, transformando-se, na maioria das vezes, em uma tosse com pus ou sangue; cansaço excessivo; febre baixa geralmente à tarde; suor noturno; falta de apetite; palidez; emagrecimento acentuado; rouquidão e fraqueza. Os casos graves apresentam dificuldade na respiração; eliminação de grande quantidade de sangue pelos pulmões, colapso do pulmão e acúmulo de pus na pleura (membrana que reveste o pulmão) - se houver comprometimento dessa membrana, pode ocorrer dor torácica.

Como se transmite?

A transmissão é direta, de pessoa a pessoa. O doente expele, ao falar, espirrar ou tossir, pequenas gotas de saliva que contêm bactérias que podem ser aspiradas por outro indivíduo, contaminando-o. Pessoas vivendo com HIV/Aids, diabetes, insuficiência renal crônica, desnutridas, idosos doentes, usuários de álcool, de outras drogas e tabagistas são mais propensos a contrair a tuberculose.

Como tratar?

O tratamento deve ser feito por um período mínimo de seis meses, sem interrupção, diariamente. São utilizados quatro medicamentos. Todos os pacientes que seguem o tratamento corretamente são curados, mas é importante segui-lo corretamente pelo período estabelecido pelo médico, mesmo quando houver melhora dos sintomas. Suspender o tratamento por conta própria, antes do tempo previsto, contribui para o surgimento de bactérias resistentes, fazendo com que os medicamentos deixem de ser eficientes para o paciente e para as pessoas por ele infectadas. Para obter a cura, o paciente precisará reiniciar o tratamento utilizando um esquema medicamentoso diferente, acrescentando outras drogas que possuem mais efeitos colaterais.

Como se prevenir?

Para prevenir a doença é necessário imunizar as crianças obrigatoriamente no primeiro ano de vida ou no máximo até quatro anos, com a vacina BCG. Crianças contaminadas pelo vírus da AIDS ou recém-nascidas que apresentam sinais ou sintomas desta doença não devem receber a vacina. A prevenção inclui ainda evitar aglomerações, especialmente em ambientes fechados, mal ventilados e sem iluminação solar.
A tuberculose não se transmite por objetos compartilhados.

Denise Lima Machado
Capitão-Tenente(S)
Enfermeira
Encarregada da Divisão de Vigilância em Saúde
Centro Médico Assistencial da Marinha.







Fontes:
http://portalsaude.saude.gov.br/index.php/o-ministerio/principal/leia-ma...
https://portal.fiocruz.br/pt-br/content/tuberculose-especialista-explica...
http://www.mdsaude.com/2009/04/sintomas-de-tuberculose.html
http://www.minhavida.com.br/saude/temas/tuberculose