Desmistificando a Psoríase

Psoríase

Você já ouviu falar sobre Psoríase? Embora ainda seja desconhecida pela maior parte dos brasileiros, pode-se dizer que é uma doença de pele relativamente comum, atingindo 3% da população mundial. Ela se apresenta por meio de lesões avermelhadas e descamativas, que acometem o couro cabeludo, os cotovelos, os joelhos e as mãos, podendo se espalhar pelo restante do corpo.

Embora a medicina ainda não compreenda perfeitamente a sua causa, já sabemos que existe uma predisposição genética, ou seja, é comum que ocorra dentro da mesma família, principalmente entre parentes de primeiro grau. A chance das lesões aparecerem aumenta caso o paciente tenha estresse emocional, obesidade, seja fumante, consuma bebidas alcoólicas, apresente deficiência de certas vitaminas ou faça uso de alguns remédios.

A psoríase é uma doença que fere mais do que a pele. Ao contrário do que muitos acreditam, ela não é contagiosa. Por conta desse equívoco, não só a estética do paciente é afetada. Quando confundida com outras doenças infecciosas faz com que as pessoas evitem o contato físico, o que gera perda de autoestima, isolamento e aumento do estresse emocional, agravando ainda mais as lesões.

A doença ainda não tem cura, mas pode ser controlada com tratamento adequado prescrito pelo médico. Porém, mudanças de hábito são tão importantes quanto o uso de remédios, por isso: evite o estresse, tenha uma alimentação saudável, mantenha a pele hidratada e, por último, mas não menos importante, procure expor-se ao sol em horários adequados, pois a incidência solar tem se mostrado benéfica à redução da intensidade das lesões.

Pedro Morgan Miguelote
Segundo-Tenente (RM2-Md)
Conselho Editorial do Saúde Naval