Está aberta a temporada de alergias respiratórias

Enviado em: 08/07/2019

Todo ano é a mesma coisa: chega o inverno; os dias começam a ficar mais frios e secos; há mudanças bruscas de temperatura; agasalhos e edredons saem do armário e, com isso, aparecem as crises alérgicas respiratórias.

Dados da Associação Brasileira de Alergia e Imunopatologia (ASBAI) apontam que 30% da população brasileira possui algum tipo de reação alérgica, sendo a rinite e a asma predominantes nesta época do ano.

A asma é caraterizada por falta de ar, tosse e chiado no peito. Já a rinite apresenta como principais sintomas coceira, irritação e entupimento no nariz, coriza nasal e espirros e é considerada como um fator de risco para o desenvolvimento das crises asmáticas.

Algumas medidas simples podem prevenir o surgimento das indesejáveis doenças de inverno, tais como:

  • Hidratação: beber bastante líquido.
  • Alimentação saudável: consumir frutas, verduras e legumes ajuda a manter o metabolismo funcionando corretamente, o que repõe as vitaminas necessárias para conservar a imunidade.
  • Limpeza do ambiente: é essencial manter os cômodos, as roupas de cama, os bichos de pelúcia, os tapetes e os carpetes livres de poeira para evitar a proliferação dos agentes infecciosos que causam diversos problemas respiratórios.
  • Animais de estimação: manter sempre o animal limpo (banhos semanais) e evitar que ele frequente o quarto do alérgico, e, se possível, evitar que o animal fique no sofá.
  • Umidificador de ar: é importante deixar os ambientes mais úmidos, colocando toalhas molhadas, recipientes com água ou usando umidificadores.
  • Evitar aglomerações e locais muito fechados: locais com grande concentração de pessoas e, especialmente, os fechados que tenham pouca circulação de ar são grandes disseminadores de agentes infecciosos.
  • Aproveite os dias ensolarados para arejar a casa: deixar o ar se renovar é importante para eliminar vírus e bactérias.
  • Lavar as mãos ao chegar da rua: dessa forma, é possível eliminar os causadores de doenças como gripes e resfriados.
  • Vacinação: a vacinação torna-se essencial para proteção de pacientes alérgicos. Fazem parte do público-alvo de vacinação da campanha contra a gripe: pessoas com 60 anos ou mais; gestantes; mães de bebês nascidos há até 45 dias; crianças entre seis meses e cinco anos de idade; pessoas com doenças crônicas (que apresentem prescrição médica) e trabalhadores da saúde. Mas, é importante lembrar que tomar a vacina contra gripe não evita resfriados comuns, apenas afasta aquelas gripes mais fortes.

    É importante atenção aos sintomas como: tosse, coriza, obstrução nasal, expectoração, febre, mal-estar geral e falta de apetite, tanto em adultos quanto em crianças. Um médico deve ser consultado para que diagnostique a doença e para que indique o melhor tratamento, já que a automedicação pode mascarar os sinais do verdadeiro problema e prejudicar o tratamento.

1T(Md) Eller Daniel Busatto Heringer Werner
Conselho Editorial do Saúde Naval



Saiba mais em: