Aedes aegypti: um vilão esquecido neste verão

Enviado em: 21/04/2020

image

Apesar do grande número de casos de dengue em todo país, a doença perdeu o enfoque da mídia e a população tende a relaxar nos cuidados quando o assunto não está em alta. Só nas primeiras semanas de 2020, já foram notificados mais 94 mil casos prováveis em todo o país, sendo 773 no Rio de Janeiro. E assim a doença se torna novamente presente em todo o Brasil, sendo as regiões Sul e Sudeste as que mais notificaram casos nos dois primeiros meses desse ano.

É importante lembrar que a dengue pode se tornar uma doença grave e, se não tratada, pode levar à morte. Os idosos são os mais vulneráveis e representam metade dos óbitos confirmados até o momento.

O Aedes aegypti, mosquito transmissor da doença, já é um velho conhecido da população. Sua proliferação ocorre com mais facilidade no verão devido às constantes chuvas que colaboram para o acúmulo de água em diversos locais e às condições ambientais, que ficam mais propícias para o desenvolvimento dos ovos.

É importante relembrar as principais medidas de prevenção e combate ao mosquito:

  • Manter tonéis e barris de água bem tampados;
  • Lavar semanalmente com água e sabão tanques utilizados para armazenar água;
  • Manter caixas d’água bem fechadas;
  • Remover galhos e folhas de calhas;
  • Não deixar água acumulada sobre as lajes;
  • Encher pratinhos de vasos com areia até a borda ou lavá-los uma vez por semana;
  • Trocar a água dos vasos e plantas aquáticas uma vez por semana;
  • Colocar lixos em sacos plásticos e em lixeiras fechadas;
  • Fechar bem os sacos de lixo e não deixar ao alcance de animais;
  • Manter garrafas de vidro e latinhas de boca para baixo;
  • Acondicionar pneus em locais cobertos;
  • Fazer sempre a manutenção de piscinas;
  • Tampar os ralos;
  • Colocar areia ou cimento nos cacos de vidro de muros;
  • Não deixar água acumulada em folhas secas e tampinhas de garrafas;
  • Vasos sanitários externos devem ser tampados e verificados semanalmente;
  • Limpar sempre a bandeja do ar condicionado;
  • Lonas para cobrir materiais de construção devem estar sempre bem esticadas para não acumular água;
  • Não deixar sacos plásticos e lixo espalhados no quintal.

A única forma de prevenção da doença é impedir a proliferação do mosquito. Não podemos esquecer desse vilão que ainda é uma ameaça à saúde de toda população, pois, além da dengue, o Aedes aegypti pode transmitir o vírus da febre amarela, da febre de chikungunya e da zika.

Mais informações em: https://www.saude.gov.br/saude-de-a-z/combate-ao-aedes/


Katiucy Anastacia A. de Faria de Melo
3SG-PD - Biomédica

Shana Barroso
1T (RM2-S) - Virologista
Hospital Naval Marcílio Dias








Saiba mais em: