Adolescência, depressão e suicídio: breves reflexões acerca do tema

Suicidio em adolescentes

O suicídio, especialmente em adolescentes, tem tomado proporção de importância cada vez maior no campo da saúde mental. No continente americano, pesquisas indicam que tal fenômeno é, atualmente, a causa de 12% das mortes na adolescência.

Um adolescente deprimido que se sente incapaz de encontrar soluções para seus problemas e não consegue formular estratégias para lidar com estressores cotidianos está mais propenso a tentar tirar a própria vida. Portanto, entre os fatores de risco para o suicídio estão situações de discórdia familiar recorrente, histórico de violência física e psicológica, relações abusivas, rejeições, bullying e fracassos em searas de importância da vida. Desse modo, um jovem que ameaça ou tenta suicídio está revelando um completo colapso dos mecanismos adaptativos e precisa urgentemente de auxílio especializado.

Como a depressão é um fenômeno multideterminado, podendo ter causas biológicas/ hereditárias, psicossociais, culturais, dentre outras, o tratamento deve incluir combinações de medicação psicotrópica com psicoterapia e manejo familiar. No que tange ao risco de suicídio, é necessário, além de identificar os fatores causadores, questionar diretamente o adolescente sobre tais pensamentos. Estudos têm mostrado que os pais não possuem conhecimento sobre as ideias suicidas de seus filhos adolescentes.

Conclui-se, então, que é de fundamental importância a identificação de sinais relativos ao transtorno depressivo e de elementos de risco relativos ao comportamento suicida. Porém é também muito relevante o conhecimento a respeito dos fatores de proteção ao suicídio na adolescência para que se constituam modos de prevenção e que se encontrem soluções para reverter ou, ao menos, atenuar os efeitos dos fatores de vulnerabilidade. Nesse sentido, o fortalecimento das redes de apoio dos adolescentes, principalmente família, grupos sociais e escolares é fundamental para incentivar que os ambientes sejam mais satisfatórios, proporcionando maior bem-estar. O reconhecimento do apoio e os relacionamentos interpessoais ocupam um importante lugar nessa fase da vida.

Aline Daronco Leon Pinheiro
Servidora Civil


Carolina Bragança Sobreira
Primeiro- Tenente (RM2-S)