Segurança do paciente: como posso contribuir?

Enviado em: 15/09/2020

image

Você sabia que os incidentes ligados à assistência à saúde representam um grave problema de saúde pública mundial? Que muitos desses casos são evitáveis e medidas preventivas podem deixar de gerar danos a pacientes e familiares?

17 de setembro foi a data escolhida pela Organização Mundial da Saúde (OMS) como o Dia Mundial da Segurança do Paciente para conscientizar profissionais de saúde, gestores, instituições, familiares, pacientes e cuidadores sobre essas questões. um dos principais eixos do trabalho, o “Envolvimento do Cidadão na sua Segurança”, considerando os pacientes, familiares e acompanhantes como parceiros nos esforços para a prevenção de falhas e danos.

Mas, afinal, o que é a segurança do paciente? São todas as ações voltadas à proteção do paciente contra riscos e danos desnecessários durante a atenção prestada nos serviços de saúde. Segundo a Anvisa, 4% a 17% de todos os pacientes admitidos em um serviço de saúde sofrem incidentes que não tem conexão com a sua doença.

É o exemplo de um paciente que realizou uma cirurgia de apendicite e que, após o procedimento, sofreu uma queda da maca, o que ocasionou uma fratura e resultou em um maior tempo de internação.

Como posso contribuir para a segurança do paciente?

Se você é paciente:

  • Envolva-se no seu próprio cuidado. É bom fazer perguntas. Entenda seu estado de saúde e seu tratamento;
  • Você pode ajudar a identificar problemas. Comunique caso se sinta mal, principalmente após usar um medicamento;
  • Forneça seu histórico de saúde e remédios que usa;
  • Sempre que o paciente, familiar ou acompanhante, precisar ausentar-se do quarto, comunique prontamente à Equipe de Enfermagem;
  • Mantenha as grades da cama sempre elevadas;
  • Leia atentamente o Manual do Paciente Internado;
  • Peça ajuda caso não se sinta bem, evite quedas.

Se você é parente ou visitante de paciente:

  • Respeite as regras para visitantes e acompanhantes;
  • Lave as mãos frequentemente com água e sabão ou use álcool em gel;
  • Não sente na cama do paciente;
  • Não ofereça alimentos;
  • Não entre no quarto de outros pacientes, uma vez que eles podem ser portadores de um germe ou estarem com alguma infecção;
  • Mantenha o distanciamento social.

Se você é um profissional de saúde:

  • Ofereça o melhor cuidado possível;
  • Tenha clareza ao informar as indicações, os riscos e os resultados esperados;
  • Seja empático e perceba as necessidades de cada paciente;
  • Envolva os pacientes como parceiros em seus cuidados;
  • Tenha agilidade e atenção aos detalhes do caso;
  • Ouça, fale e interaja com seus pacientes.

Da redação do Saúde Naval com a orientação da ASSESSORIA DE SEGURANÇA DO PACIENTE NO HNMD




Veja também: