IPqM mais perto do domínio tecnológico em propelentes para munições de Alcance Estendido

Image: 

O Instituto de Pesquisas da Marinha (IPqM), Instituição de Ciência, Tecnologia e Inovação (ICT) subordinada ao Centro Tecnológico da Marinha no Rio de Janeiro (CTMRJ),  em parceria com a Empresa Gerencial de Projetos Navais (EMGEPRON), deu mais um relevante passo para a Nacionalização e o Desenvolvimento de Propelente para Munição de Alcance Estendido (Base Bleed). No mês de março, as Instituições realizaram testes de munição naval calibre 4.5 no Campo de Provas da Restinga da Marambaia, no Rio de Janeiro, obtendo um desempenho que representa um importante avanço no domínio tecnológico em munições com esse componente altamente estratégico no âmbito da Defesa Nacional.

Os resultados obtidos apontam, de forma promissora, para uma possível transferência dessa tecnologia a uma empresa parceira da Base Industrial de Defesa (BID), possibilitando o fornecimento comercial do gerador de gás para munição de alcance estendido.

O gerador de gás foi amplamente estudado pelo IPqM e pela EMGEPRON, desde a concepção de seu projeto e das formulações do propelente, passando por ensaios de caracterização, de queima em bancada estática, até a fase em escala real de tiro, sinergicamente trabalhados de acordo com a Estratégia Nacional de Ciência, Tecnologia e Inovação da MB promulgada pela Diretoria-Geral de Desenvolvimento Nuclear e Tecnológico da Marinha (DGDNTM).

O desenvolvimento dessa tecnologia é considerado de extrema relevância para a promoção do Poder Naval da Marinha do Brasil, contribuindo para a independência tecnológica do país e o desenvolvimento da Base Industrial de Defesa.