MEC autoriza funcionamento do Curso de Mestrado em Acústica Submarina do IEAPM

Image: 

No dia 13 de maio, o Instituto de Estudos do Mar Almirante Paulo Moreira (IEAPM), Instituição de Ciência, Tecnologia e Inovação (ICT) subordinada ao Centro Tecnológico da Marinha no Rio de Janeiro (CTMRJ), obteve a autorização do Ministério da Educação (MEC) para o funcionamento do Programa de Pós-Graduação “stricto sensu” em Acústica Submarina (PPGAS), por meio do Curso de Mestrado Acadêmico devidamente aprovado pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES), em 2019. Essa conquista está alinhada com a missão desse Instituto, no que concerne à execução de pesquisas, desenvolvimentos, inovações e serviços tecnológicos na área de Ciências do Mar.

O PPGAS tem por objetivo formar egressos capazes de enfrentar os desafios inerentes ao mar territorial brasileiro e à “Amazônia Azul”, por meio do domínio do conhecimento de tecnologias sensíveis, tais como as de processamento de sinais acústicos, sensores, sistemas de monitoramento e integração de sistemas em terra com veículos submarinos e de superfície.

O Programa consistirá de três linhas de pesquisa: comunicação e redes de sensores submarinos; monitoramento ambiental submarino; e propagação de energia no oceano. Poderão candidatar-se profissionais graduados em Ciências Exatas, Ciências da Terra, Ciências Biológicas, e dos ramos das Engenharias com especializações nas áreas em relevo. As linhas de pesquisa citadas serão orientadas às aplicações nas indústrias de equipamentos, dispositivos e sensores para as atividades de acústica submarina, oceanografia, geofísica, geologia submarina, biotecnologia, biologia marinha, defesa e de óleo e gás.

O edital do curso e o processo seletivo decorrente deverão ser publicados até o final de 2020, estando o início das aulas da primeira turma previsto para março de 2021.

O IEAPM é uma ICT de referência, no âmbito do Sistema de CT&I da MB (SCTMB), contribuindo para a ampliação das áreas estratégicas de conhecimento, em benefício da utilização sustentável, da preservação do meio ambiente marinho e do desenvolvimento socioeconômico do País.